A ‘nova Alitalia’ será encolhida e terá que disputar o nome em leilão público

O governo italiano e a Comissão Europeia chegaram a um acordo inicial ontem (27) sobre o lançamento da Italia Trasporti Aereo (ITA), a nova empresa pública (Newco) criada para relançar a Alitalia. Mas a empresa que vai carregar a bandeira italiana não ficará automaticamente com a marca Alitalia: terá que vencê-la em licitação, assim como o controle da unidade de manutenção, apurou o Aviacionline.

O futuro da nova empresa tem uma série de licitações e vendas de ativos pela frente, já acertadas entre a UE e o Estado italiano. O tamanho da ITA será 50% menor que o da Alitalia, que entrou em administração (recuperação judicial) há mais de um ano.

“Demos alguns passos em frente, mas isso não acabou, são muitos passos técnicos e muito mais. Mas certamente hoje é um passo importante para resolver o problema”, disse o ministro do Desenvolvimento Econômico, Giancarlo Giorgetti. A UE se concentrou no que estava procurando: “parâmetros-chave para garantir a independência econômica entre a ITA e a Alitalia”.

O plano aprovado pela UE implica que a ITA terá que comprar os ativos da Alitalia. Em algumas áreas terá a possibilidade de negociar diretamente “consigo mesmo”, mas em outras será um licitante a mais um leilão público.

Sob essa premissa, terá prioridade a compra da unidade de negócios de aviação, mas com um máximo de 52 aeronaves, menos da metade do efetivo e menos slots operacionais em aeroportos na Itália e no resto da Europa. Para as restantes unidades de negócio, terá limitações: poderá participar como licitante para recomprar a unidade comercial, mas não poderá participar no negócio de MRO. A marca Alitalia idem, será posta em um certame aberto a quem quiser participar.

Da mesma forma, a Newco poderá participar da licitação da Milemiglia, programa de fidelidade da Alitalia, que foi uma das poucas áreas da empresa que gerou lucro nesses anos. Sem essa fonte de renda, o caminho para a recuperação será mais difícil, mas “regras são regras”.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Comandante Sully, o herói do rio Hudson, assume importante cargo na...

0
O Senado americano confirmou, na semana passada, o piloto Chesley "Sully" Sullenberger como seu embaixador na Organização