A Thai Airways abriu um restaurante com assentos e comida de avião

Para os viajantes, assíduos ou não, a pandemia veio como um balde de água fria e cancelou milhões de planos, ao ponto de até fazer bater aquela vontade de comer comida de avião, por mais estranho que isso possa parecer. Muitas empresas aéreas, na necessidade de criar novas formas de obter receita, têm criado formas alternativas negócios, algumas inventaram até delivery das comidas servidas a bordo, mas agora uma novidade nasce na Tailândia.

Isso porque a Thai Airways, transportadora de bandeira tailandesa, transformou a cafeteria de seus escritórios em Bangkok em um restaurante pop-up com um menu bem conhecido dos viajantes locais, já que serve a mesma comida de bordo da companhia aérea. O novo local foi inaugurado na quinta-feira (3), em parte como uma forma de trazer uma nova receita, segundo um comunicado da empresa.

Imagem do Menu

No entanto, o restaurante oferece mais do que o menu de bordo, ele também tem assentos das classes econômica e executiva que substituem as tradicionais cadeiras, além de contar com uma mobília e objetos de decoração totalmente orientados ao mundo da aviação, com peças vindas direto das oficinas e transformadas em artigos únicos.

Os chefs de cozinha são os mesmos que pensam nas refeições da Thai Catering, que serve os aviões da empresa aérea. No salão, elegantes atendentes vestidas com uniforme de tripulação de cabine interagem com os clientes de maneira cordial. O objetivo é tratar os visitantes como se estivessem a bordo das aeronaves.

Área com assentos da classe executiva

No comunicado à imprensa, a Thai Airways confirmou que as “refeições de alta qualidade” continuarão disponíveis na sede de Bangkok de quarta a sexta-feira, e que mais restaurantes pop-up estão sendo planejados em outros escritórios da companhia aérea. A empresa citou que a unidade de Bangkok pode produzir 2.000 refeições por dia.

Segundo uma matéria da Reuters, o dia da inauguração foi um sucesso, com restaurante lotado e muita festa. Isso deixou os organizadores empolgados com os resultados, embora isso contraste com a situação da empresa aérea, envolvida em inúmeros problemas administrativos, seguidos prejuízos e denúncias de corrupção.

A Thai entrou com um pedido de proteção contra falência em maio e está buscando a aprovação de um tribunal tailandês para uma grande reestruturação. 

A decisão do tribunal deve acontecer após 14 de setembro. Nos primeiros seis meses de 2020, a Thai Airways registrou um prejuízo de US$ 900 milhões, inflados pela pandemia. Em 2019, a operadora teve um prejuízo de US$ 109 milhões, sem contar as demais décadas de prejuízo.

As fotos são da Thai Catering

Lounge com pneus de aviões
Entrada por uma escada de avião
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias