Especialistas investigam A320 que decolou na direção errada em Sharjah

Investigadores dos Emirados Árabes Unidos estão analisando um incidente no qual um Airbus A320 virou para o lado errado em uma intersecção para ingressar e decolar na pista do aeroporto de Sharjah. Com o engano, a distância de decolagem ficou extremamente limitada, colocando em risco a segurança da operação.




Apesar do erro, o comandante identificou a situação anormal durante a corrida de decolagem e efetuou procedimentos emergenciais para garantir a decolagem dentro da distância restante.

Sharjah tem uma única pista, designada 12/30, que tem 3010 metros (9900 pés) de comprimento. A aeronave da Air Arabia, de matrícula A6-ANV, foi liberada para partir da interseção B14 da pista 30, segundo as investigações dos Emirados Árabes Unidos.

Mas a tripulação erroneamente alinhou para decolagem no sentido da pista oposta 12, posicionando o jato com apenas cerca de 1020 metros (3350 pés) de pista para a corrida de decolagem. Adicionando-se a área pavimentada adicional ao final da pista, a distância chega aos 1150 metros (3760 pés).

A título de comparação, a maior pista de Congonhas possui 1940 metros (6365 pés) de comprimento e a maior do Santos Dumont possui 1323 metros (4341 pés).

Após iniciar a corrida e perceber que a distância restante para a decolagem era curta, o comandante da aeronave assumiu os controles e aplicou potência máxima (TOGA).

O comandante também selecionou a posição “2” para a configuração do flaps, estendendo os flaps para 15 ° e os slats para 22 °, gerando mais sustentação para auxiliar na decolagem.




A aeronave decolou no final da pista e os pilotos receberam um aviso do controle de tráfego aéreo após a partida, informando-os sobre o uso incorreto da pista.

Os dados meteorológicos de Sharjah mostram que a visibilidade e as condições meteorológicas eram boas no dia, com temperaturas de cerca de 40ºC.

 
Informações pelo Flight Global.
 

Spirit anuncia 11 novos voos na América Latina e Caribe a partir de Orlando

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.