Futuro do A380 em risco por ineficiência dos motores Rolls-Royce

As entregas de um novo lote de aeronaves Airbus A380-800 para a Emirates devem atrasar para além de 2020, já que a Airbus e a Rolls-Royce não chegaram a acordo sobre as especificações de uma nova variante de motor no prazo previsto, informou a Bloomberg.

Os motores entregues pelo fabricante não cumpriram os requisitos de desempenho, particularmente no que diz respeito ao preço e à queima de combustível.

Avião Airbus A380 Emirates

Na pior das hipóteses, a falta de um acordo entre o fabricante da aeronave e a Rolls-Royce poderia até ameaçar o cumprimento das entregas para a companhia baseada em Dubai.

A Emirates encomendou vinte A380-800 com mais vinte opções em janeiro de 2018, efetivamente dando uma ajuda à Airbus, que lutava para receber pedidos de outras companhias aéreas para o modelo.

A companhia é de longe o maior usuário do tipo e já opera 105 unidades do jato dois andares, dos 220 ativos no mundo. Incluindo os vinte novos jatos encomendados no início deste ano, a Emirates ainda tem 57 A380 encomendados.

Avião Airbus A380 Emirates

De acordo com o ch-aviation, os primeiros 90 A380 entregues à Emirates foram equipados com motores Engine Alliance GP 7270, enquanto os 15 subsequentes são impulsionados pelos Rolls-Royce Trent 900. Todos os demais A380 encomendados também serão equipados com motores Rolls-Royce.




A concorrente Engine Alliance, uma joint venture entre a General Electric e a Pratt & Whitney, disse que poderia adaptar seus motores de geração atual para os futuros A380. No entanto, a Bloomberg informou que o envolvimento da Engine Alliance com o programa do superjumbo é na melhor das hipóteses superficial, uma vez que se concentra muito mais em motores para outros tipos de aeronaves.

 
Informações pelo ch-aviation.
 

787’s em solo novamente! Novo problema detectado nos Rolls-Royces

Quarto de hotel a bordo! Conheça as suítes dos A380 da Singapore Airlines!

Interior do A380 da HiFly é revelado; Veja fotos


 

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.