Aeronave teve fuselagem rasgada no tornado de segunda-feira em Memphis

A violenta tempestade que atravessou o Centro-Sul dos Estados Unidos fez uma parada no Aeroporto Internacional de Memphis na manhã da última segunda-feira, 21 de outubro, causando estragos em aeronaves, estruturas e planos de viagens.

Memphis Tornado 757 UPS fuselagem rasgada

O fato aconteceu entre 6 e 7 horas da manhã da segunda-feira, com um enorme volume de chuva e ventos de alta velocidade atravessando a cidade de Memphis.

Diversos passageiros já estavam sentados em seus avião aguardando a poucos momentos da decolagem, quando sentiram a tempestade passar.

Um vídeo de uma câmera de segurança, divulgado pelo Aeroporto de Memphis, mostra o momento em que uma ponte de embarque que pesa toneladas foi arrastada pela violência dos ventos:

Um passageiro publicou em rede social dizendo que já estava embarcado, “mas os fortes ventos tiraram a aeronave do chão e a moveram. Alerta de tornado. Desembarcaram-nos para lugar seguro. Loucura!”

Mas a situação não era muito melhor para aqueles que ainda passavam pela segurança – o vento de alta velocidade abria portas e quebrava janelas em dois saguões e na área do mezanino. Os passageiros tinham que ser direcionados para os banheiros próximos por segurança.

“Ficou bastante assustador e já passei por fortes tempestades antes”, disse o passageiro George Brown a um jornal local, “mas isso que aconteceu aqui e as pessoas começando a gritar e correr, isso é assustador.”

Um porta-voz do Aeroporto Internacional de Memphis disse que não houve feridos e descreve o dano como “menor”. Mas vídeos posteriores mostram que para as companhias aéreas não ficou tudo tão bem assim.

Aeronaves foram seriamente danificadas por objetos atirados pela tempestade. Veja o rasgo na fuselagem de um Boeing 757 da companhia aérea UPS, e os danos no bocal de seu motor esquerdo:

Segundo o The Independent, o tornado que atingiu o Sudeste de Memphis, causando falta de energia, fechamento de escolas e danos a árvores, carros, casas e empresas, foi classificado como um furacão EF1 pelo Serviço Nacional de Meteorologia, que é descrito como tendo a capacidade de causar danos moderados a estruturas e árvores.

O tornado atingiu um pico estimado de velocidade do vento de 105 km/h e moveu-se por 2,3 ​​quilômetros, com uma largura de cerca de 180 metros.

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.