Aeroporto de Brasília promove ação para medir bagagens de mão

Imagem: Divulgação / Inframerica.

O Aeroporto de Brasília está promovendo uma ação em parceria com as companhias aéreas para auxiliar os passageiros sobre as medidas e os volumes das malas que podem ser levadas como bagagem de mão nas aeronaves. Ciente de que muitos passageiros ainda têm dúvidas quanto à resolução 400 da Agência Nacional da Aviação Civil (Anac), a Inframerica colocou funcionários em frente ao portão de embarque doméstico para sanar as dúvidas e orientar os usuários.




Desde março, segundo a Agência, as bagagens de mão não podem ultrapassar os 10 kg e cada companhia aérea tem a liberdade de estabelecer a dimensão máxima e as tarifas referentes ao serviço de transporte.

O objetivo do aeroporto com o projeto piloto é auxiliar as companhias aéreas e manter a pontualidade dos voos. Hoje o terminal brasiliense é o 4º terminal aéreo mais pontual do mundo dentre os aeroportos que processam entre 10 e 20 milhões de passageiros por ano, conforme pesquisa realizada pela OAG, consultoria especializada em aviação, e o mais pontual da América Latina no ranking publicado pela Flight Stats, empresa de monitoramento de voos comerciais.

Imagem: Divulgação / Inframerica.

“Quando os passageiros embarcam com bagagens fora do padrão a companhia aérea é obrigada a despachar a mala, gerando filas e atrasando o voo. As aeronaves possuem um limite de peso e de espaço que podem ser levados nos compartimentos de bagagem. É importante que os passageiros saibam disso e tenham um voo com segurança e no horário”, explica Josmário Brito, gerente de operações do Aeroporto de Brasília.

Iniciada no último dia 11 de setembro, a ação pode ser mantida permanentemente pela concessionária. A análise das malas está ocorrendo na entrada do embarque doméstico, antes da inspeção por raio-x. O Aeroporto de Brasília é o único aeroporto brasileiro a realizar esta ação educativa e informativa aos passageiros.

 
Informações pela Assessoria de Imprensa da Inframerica.
 

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias