Aeroporto de Maringá terá a maior pista de pouso do Paraná por alguns meses

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Foto Prefeitura de Maringá

As obras no Aeroporto Silvio Name Júnior, em Maringá, seguem a todo o vapor com expectativa de conclusão para dezembro, em linha com o cronograma previsto. Os trabalhos custarão ao todo R$ 81,5 milhões de reais, na maior obra de modenização do terminal.

Para Ulisses Maia, prefeito de Maringá, a reforma e ampliação do aeroporto configuram um dos investimentos mais fundamentais da aviação civil em todo o sul do Brasil.

Maior pista por pouco tempo

Quando tudo estiver pronto, a pista de pousos e decolagens terá 280 metros a mais, passando de 2.100 metros para 2.380 metros. Portanto, será a maior pista de pouso do Paraná por algum tempo. Maior até do que a do aeroporto internacional de Curitiba, que tem 2.218 metros.

Leitores nos alertaram que o recorde, no entanto, durará pouco, já que a pista de Foz do Iguaçu tomará a liderança após a conclusão de suas obras em abril de 2021. Com elas, o aeroporto das Cataratas chegará a cerca de 2.800 metros de pista – hoje tem 2.195 metros.

Além disso, às margens da pista principal, a taxiway vai tornar as manobras das aeronaves mais ágil. Nesse sentido, o novo pátio de aeronaves e outros detalhes que estão no projeto também vão facilitar esse tipo de procedimento.

Com tais mudanças, será possível aproveitar melhor o potencial de carga do aeroporto. “A importância da novidade para o desenvolvimento de Maringá é muito grande”, diz o prefeito Maia em seu site na internet.

Por fim, ainda consta do projeto a ampliação do pátio de manobras de veículos, bem como a ampliação e revitalização da via de acesso de emergência, a sinalização horizontal e vertical do aeroporto, a reforma da seção contra incêndio (SCI), a implantação de uma rede de drenagem e a instalação do balizamento luminoso.

Fechado 15 dias

Embora a obra de grandes dimensões não tenha interrompido o tráfego até aqui, será necessário que o aeroporto seja fechado por 15 dias. Diz o comunicado de 2 de outubro:

“Em virtude da terceira fase das obras de reforma e ampliação do Aeroporto Regional de Maringá, haverá a interdição total do aeródromo no período de 1 a 15 de dezembro do corrente ano, pois nessa fase ocorrerá a reconstrução do pavimento asfáltico da pista de pouso e decolagem, bem como melhorias que aumentarão seu índice de resistência”.

Não obstante, a Companhia reitera que as ações de planejamento para execução da obra observam os mais rigorosos critérios de segurança operacional, alinhados com as Companhias Aéreas, Agência Nacional da Aviação Civil (ANAC), Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), e comunidade aeroportuária em geral. As informações sobre cancelamentos e transferência de voos devem ser obtidas diretamente com as companhias aéreas que operam no aeródromo”.

No futuro, outro objetivo é que o uso dos espaços seja mais confortável para os passageiros, que os voos internacionais de cargas sejam atraídos para o aeroporto que haja melhorares condições para concorrência entre as companhias aéreas.

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias