Aeroporto mais antigo da China encerra operações após abertura do novo gigante Daxing

O aeroporto de Pequim Nanyuan, o mais antigo da China, deixou de receber aeronaves civis hoje, 25 de setembro de 2019, após a abertura do novo aeroporto internacional de Pequim Daxing, um gigante de 4 pistas para 72 milhões de pessoas.

Aeroporto Nanyuan Terminal China
Contador zerado na frente do terminal de Nanyuan

O voo KN1026 da China United Airlines decolou do aeroporto às 23:20 de hoje, marcando o fim de 109 anos de serviço do terminal.

O aeroporto de Nanyuan foi construído em 1910 e foi inicialmente usado para fins militares. Em agosto de 1913, a primeira escola de voo na China foi aberta lá, seguida pela abertura da primeira fábrica de aviação chinesa.

Depois de servir as forças armadas por décadas, em 1986 o aeroporto tornou-se o principal hub da China United Airlines. A companhia aérea foi criada sob a administração da Força Aérea do Exército de Libertação Popular, conectando áreas revolucionárias de base e cidades fronteiriças.

Aeroporto Nanyuan Pátio China
China United Airlines, última operadora a sair do aeroporto

E a própria China United Airlines era a única companhia aérea que ainda operava até hoje em Nanyuan, tendo sido a responsável por encerrar os serviços ao transferir suas operações para o recém-construído aeroporto de Daxing.

Aeroporto Nanyuan Pátio China
Pátio do aeroporto de Nanyuan

Aeroporto Nanyuan Imagem Aérea China
Imagem aérea do aeroporto chinês

A construção do novo aeroporto terminou em 30 de junho e apresenta um único e enorme terminal em uma forma que divide opiniões: seria inspirado em uma fênix dourada, mas parece uma estrela do mar. Veja abaixo e diga o que você acha.

Pequim Daxing Terminal Fenix Estrela
O terminal do novo Daxing de Pequim

O novo aeroporto tem quatro pistas e poderá atender até 620.000 voos por ano. O projeto prevê o aumento da capacidade anual do aeroporto para 72 milhões de pessoas e 2 milhões de toneladas de carga até 2025. Veja a seguir.

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.