Aeroportos de Congonhas e Porto Alegre suspendem barreiras sanitárias

Terminal Aeroporto Congonhas
Aeroporto de Congonhas – Imagem: Agência Brasil / CC BY 3.0 BR, via Wikimedia Commons

Dois dos principais aeroportos do país, São Paulo e Porto Alegre, começaram a desativar suas barreiras sanitárias, após meses de trabalhos para identificar e conter a variante Delta da COVID-19. Segundo a prefeitura da capital paulista, o encerramento dos trabalhos em Congonhas aconteceu na última sexta-feira, dia 15 de outubro devido à estabilização do número de casos na cidade.

Desde 27 de maio, as equipes da Coordenadoria de Vigilância em Saúde trabalharam no Aeroporto de São Paulo/Congonhas e os terminais da Barra Funda, Tietê e Jabaquara. Em quase cinco meses, as equipes abordaram 801.106 pessoas nos quatro pontos de monitoramento.

As barreiras no aeroporto tinham como objetivo evitar a entrada e disseminação da variante indiana do coronavírus na capital paulista e, consequentemente, em outras partes do Brasil.

No período das atividades, as equipes de Saúde atuaram das 7h às 23h, e as pessoas identificadas com sintomas para o novo Coronavírus foram encaminhadas imediatamente para a Unidade Básica de Saúde (UBS) Jardim Aeroporto – Doutor Massaki Udihara, a cerca de 900 metros do local. O transporte foi feito com ambulância da rede municipal.

No aeroporto, foram registrados 157 casos sintomáticos de Covid-19 em 555,7 mil abordagens. Nos terminais rodoviários, foram 213 mil abordagens para identificação de 53 pessoas com sintomas da doença.

Porto Alegre

A Prefeitura de Porto Alegre, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, decidiu encerrar a testagem de viajantes aéreos para Covid-19 a partir da última segunda-feira, 18 de outubro.

Barreira sanitária no Aeroporto de Porto Alegre – Imagem: Prefeitura de Porto Alegre

A medida leva em consideração aspectos como o percentual de pessoas com duas doses da vacina ou com esquema vacinal completo, estabilidade no número de novos casos novos e de internações hospitalares em decorrência da doença, além da situação controlada de transmissão da variante Delta do novo coronavírus na cidade.

O protocolo de testagem de viajantes foi iniciado em 19 de julho, com objetivo de monitorar a circulação da variante Delta na cidade. De acordo com o diretor da Vigilância em Saúde de Porto Alegre, Fernando Ritter, a medida foi importante para o diagnóstico da situação epidemiológica entre pessoas que viajam pelo Brasil por companhias aéreas.

“Com certeza, essa ação atrasou a chegada, especialmente da variante Delta em Porto Alegre, o que possibilitou andarmos com a vacinação e assim não termos mudança no número de casos após o domínio dessa variante.”

Na segunda etapa da ação com viajantes – a primeira ocorreu em junho – 581 passageiros preencheram o formulário do viajante – condição para a testagem com exame RT-PCR. Desses, 195 compareceram ao laboratório indicado pela SMS para realização do teste, com confirmação de cinco casos positivos. Dos 195 testes, 192 possuem resultado divulgado. São 187 negativos para Covid-19, cinco positivos e três aguardam liberação do resultado. 

O protocolo pode ser reativado pela SMS a qualquer momento, de acordo com a circulação de novas variantes do vírus. A testagem era oferecida a passageiros residentes em Porto Alegre ou que chegavam à Capital pelo aeroporto Salgado Filho e que permaneciam na cidade por pelo menos quatro dias.  

Com informações da Prefeitura de São Paulo e Prefeitura de Porto Alegre

Leia mais:

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias

Passageiros atrasam voo de volta em 4 horas por causa da...

0
Funcionários da Pakistan International Airline (PIA) no Reino Unido ficaram irritados na última semana, depois que passageiros deixaram