FAA propõe inspeção extra nos motores GEnx, que equipam os Boeing 787 e 747-8

A Federal Aviation Adninstration (FAA), o órgão regulador da aviação civil nos EUA, abriu consulta pública para uma NPRM (Notificação de Proposta de Regra), para emissão de uma Diretiva de Aeronavegabilidade envolvendo os motores GEnx que equipam os B787 e B747-8.

B787 equipado com motor GEnx

A ação está sendo tomada pela FAA por conta do risco de falhas não contidas no motor e a proposta prevê que as companhias aéreas inspecionem os discos das turbinas de alta pressão (HPT) de alguns motores General Electric GEnx.

A proposta de Diretiva de Aeronavegabilidade foi tornada pública no último dia 11 de junho e tem como alvo versões dos turbofans GEnx-1B, que equipam o Boeing 787, e GEnx-2B, que equipa o 747-8.

Conforme texto da NPRM divulgado pela FAA, os modelos do GEnx afetados pela AD seriam os GEnx-1B64 / P2; GEnx-1B67 / P2; GEnx-1B70 / 75 / P2; GEnx-1B70 / P2; GEnx-1B70C / P2; GEnx-1B74 / 75 / P2, GEnx-1B76 / P2, GEnx-1B76A / P2 e GEnx-2B67 / P, com certos discos (SN) de segundo estágio do rotor da turbina de alta pressão (HPT) instalados.

Os discos afetados nos GEnx-1B estão identificados no Boletim de Serviço (SB) 72–0463, enquanto o SB 72–0402, identifica os discos do segundo estágio da HPT afetados no modelo GEnx-2B do motor.

Na fabricação

A proposta da AD foi motivada por um relatório de potenciais anomalias não detectadas formadas durante o processo de fabricação que poderiam resultar em falha não contida do disco de segundo estágio do rotor das HPT.

A AD exigiria uma inspeção ultrassônica por imersão (USI) do disco do segundo estágio da HPT e, dependendo dos resultados da inspeção, a substituição desse disco, por outro elegível para instalação.

Na proposta da regra, a FAA estima que 276 motores nos EUA seriam afetados pela AD. Segundo o Flight Global, a GE informou que, no mundo, 1.250 motores serão impactados. Em janeiro, a empresa abordou a questão através dos boletins de serviço já citados, instruindo as companhias aéreas que realizassem inspeções de imersão ultrassônica nos motores afetados.

De acordo com o Flight Gobal, a GE informou que as operadoras já inspecionaram cerca de 8% da frota GEnx-1B e 4% da frota GEnx-2B.

A AD da FAA exigiria que as companhias aéreas concluíssem essas inspeções durante a próxima visita à oficina ou antes dos discos atingirem 6.500 ciclos. A discussão da regra está aberta ao público até 27 de julho.

A NPRM é o documento legal emitido anteriormente à AD, com a finalidade de alertar ao público interessado sobre a proposta de se emitir uma AD, e assim possibilitar que sejam emitidos comentários sobre o conteúdo técnico da AD proposta, sendo prática comum das autoridades aeronáuticas em todo o mundo, inclusive a brasileira ANAC.

787 também sofre com problemas no motor Trent 1000

Para quem não se lembra, até porque o assunto vem se arrastando há anos, os motores Rolls-Royce Trent 1000, exclusivos para o Boeing 787 (que também podem ser equipados com o GEnx) têm sua história marcada por problemas, que acabaram causando a parada de várias aeronaves ao redor do mundo, inclusive de aviões da Latam.

Em meados de maio, ao divulgar que o último 787 da Virgin Atlantic, afetado pelo problema com o Trent 1000 estava voltando a capacidade operacional, o Vice Presidente de Engenharia e Manutenção, Phil Wardlaw, comentou que ainda existiam vinte e quatro Boeings 787 no chão devido aos problemas com o Trent 1000 em todo o planeta, em 10 dos 17 operadores do modelo.

Rodnei Diniz
Engenheiro aeronáutico e mecânico, atuante em gestão de manutenção aeronáutica, aviação geral, executiva e comercial. Atento aos detalhes, gosta de ler e escrever sobre a história da aviação.

Veja outras histórias