Aigle Azur: 14 propostas para salvar a empresa foram apresentadas

Aigle Azur A330

Quem será que vai assumir a Aigle Azur? Pelo menos catorze ofertas para assumir a Aigle Azur foram enviadas antes do prazo final, ao meio-dia desta segunda-feira, 9 de setembro de 2019. Como esperado, uma delas era da Air France. Enquanto isso, 13.000 passageiros da empresa ainda estão à espera que alguém honre as passagens compradas.

Entre as quatorze ofertas apresentadas, havia duas comunicadas como “propostas principais”. Uma delas é certamente a da Air France, que de acordo com uma fonte sindical citada pela Franceinfo, ofereceu injetar €15 milhões na empresa e contratar até 70% dos funcionários franceses da Aigle Azur, o que representaria cerca de 800 funcionários.

O grupo Dubreuil, controlador das companhias aéreas French Bee e Air Caraibes, também ofereceu €15 milhões, mas apenas planeja manter 106 funcionários.

A easyJet, companhia aérea britânica de baixo custo, e a Vueling, low-cost espanhola, manifestaram interesse nas atividades da Aigle Azur em Orly.

O tribunal comercial deve decidir sobre uma oferta vencedora na próxima segunda-feira em uma audiência especial. Empregando cerca de 1.150 pessoas, incluindo 800 na França e 350 na Argélia, a empresa Aigle Azur foi colocada na semana passada em liquidação e cessou todos os voos na sexta-feira (6). Com suas 11 aeronaves, o grupo transportou 1,88 milhão de passageiros em 2018, período em que alcançou um faturamento de 300 milhões de euros.

A Aigle Azur foi fundada em 1946 e sempre operou voos regulares para as principais cidades da França e da Argélia, além de Portugal (Funchal, Lisboa, Faro e Porto), Marrocos, Tunísia e Mali. Em julho de 2018, a empresa colocou três frequências semanais para Campinas, no Brasil, depois que, em 16 de novembro de 2017, o empresário David Neeleman, fundador da Azul Linhas Aéreas, anunciou ter comprado 32% de participação da empresa.

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.