Aigle Azur de David Neeleman suspende voos, inclusive para o Brasil

A Aigle Azur, que tem David Neeleman como um de seus principais sócios, anunciou ontem (05) que iniciou a suspensão das suas operações e que todos os voos estão cancelados, inclusive de/para o Brasil.

Avião Airbus A330 Aigle Azur
Airbus A330-200 da Aigle Azur em aproximação em Viracopos – Campinas

O anúncio vem logo após a companhia informar que não tem mais condições de pagar fornecedores e funcionários, e irá entrar em recuperação judicial.

No site da companhia francesa consta apenas um aviso sobre os cancelamentos. A empresa afirma que não tem caixa para manter os voos da tarde do dia 06 de setembro em diante.

A companhia também orienta que se o passageiro tem um voo depois do dia 06, será obrigado a comprar bilhete de outra companhia, já que a situação da companhia não permite que seja feito uma acomodação ou compensação sobre os gastos.

Porém a Aigle Azur destaca que isso não anula os direitos do passageiro, que pode recorrer junto à justiça no contexto da recuperação judicial/falência. Inclusive um site com o guia jurídico de apelação foi feito, e você pode acessar aqui (em francês apenas).

Por último a empresa destaca que está mobilizada para retornar aos negócios através da venda para uma ou mais pessoas/empresas assim que possível.

Fim dos voos no Brasil

A330 da Aigle Azur instantes antes de pousar em Campinas
A330 da Aigle Azur instantes antes de pousar em Campinas

Iniciada em julho de 2018 em parceria com a Azul, a rota Paris Orly – Campinas Viracopos, operada pelo Airbus A330-200 da Aigle Azur, já estava com operação suspensa programada a partir do dia 09 de setembro de 2019.

Porém o voo de hoje (06) já foi cancelado, assim como os do final de semana, dias 07 e 08. Em nota enviada ao AEROIN, a Azul informou que está seguindo a legislação vigente acomodando apenas os passageiros que emitiram bilhetes através do seu site, o www.voeazul.com.br.

Passageiros reclamam que em Paris não existe mais atendimento da empresa, e que tanto na França como no Brasil os canais de comunicação da Aigle não respondem.

No ano passado fizemos um balanço exclusivo do desempenho das novas rotas internacionais no Brasil, veja como foi a ocupação da rota Paris – Campinas:

Ocupação Aigle Azur
Ocupação em 2018

Primeiro mal negócio de Neeleman

David Neeleman
David Neeleman © Bloomberg

A Aigle Azur se torna a quarta aérea de relevância no ano a fechar as portas, logo após a Jet Airways, WOW Air e a Avianca Brasil.

Outro destaque da companhia é que a primeira aérea com participação do empresário David Neeleman que não foi para frente.

O brasileiro fundou a Morris Air (vendida para a Southwest), a WestJet do Canadá, a JetBlue e a Azul, além de ser o principal investidor da TAP após a privatização parcial da mesma.

Todas as empresas de Neeleman prosperavam até hoje. A única exceção agora é a Aigle Azur, onde David possui 32% das ações. Ele afirmou que irá à corte contra outro acionista que assumiu o controle da companhia, demitindo o CEO responsável pelos planos de expansão de longo prazo.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos