Air France próxima de encomendar Airbus A220 e A320neo

O final de julho será rico em notícias para a Air France, revelou o jornal francês La Tribune apontando para uma mega encomenda de aviões.

Airbus A220-300 e A321LR voam em formação

O grupo Air France-KLM é um dos poucos gigantes do mundo que não optou por praticamente nenhum avião narrowbody da nova geração (com exceção da encomenda específica da KLM para o Embraer E195-E2 substituindo os E190-E1).

Segundo o jornal a frota de corredor único da Air France (hoje composta por toda família A32F do A318 até o A321) será substituída por um mix de A220 e A320neo (possivelmente também o A321neo/LR/XLR).

Atualmente a empresa francesa possui 114 aeronaves da família A32F. O A220 (antigo Bombardier CSeries CS100 e 300) iriam substituir o Airbus A318 e A319, e os A320neo e A321neo os seus antecessores respectivamente. Nesta mega encomenda os pedidos ficariam dividos meio-a-meio entre as duas famílias de aeronave.

Já no caso da subsidiária low-cost do grupo, a Transavia France, o infamo Boeing 737 MAX deverá prevalecer. Apesar das tentivas da empresa, não foi possível colocar os pilotos da Air France na mesma convenção coletiva dos da Transavia (que recebem menos), sendo assim duas frotas diferentes serão mantidas.

A divisão francesa da Transavia conta com 36 jatos 737-800. Já a parte holandesa com sete do modelo menor -700 e 35 do -800.

A holandesa KLM também possui jatos 737 na sua frota (51 ao todo), mas assim como a compatriota Transavia, faz pedidos separadamente.

Porém o anúncio da escolha do 737 MAX deverá ser feito após a crise do jato da Boeing passar ou se amenizar, algo esperado quando a aeronave voltar a serviço.

E o retorno de serviço do MAX continua sendo postergado semana após semana, muitas aéreas já consideram como Novembro o retorno e alguns analistas apostam em 2020 apenas.

Substiutos do gigante A380

A Air France também já “deu o que tinha que dar” com o seu Airbus A380, que consome muito e acabou sendo uma pedra no sapato de muita companhia aérea.

Após decidir que irá cortar a frota do gigante pela metade, a decisão de aposentar os cinco A380-800 restantes também está próxima.

O La Tribune apontou que as aeronaves deverão sair de serviço até meados de 2023 ou 2024. A substituição não será direta, sim por mais aeronaves de menor capacidade.

O Boeing 787 e o A330neo estão na mira da companhia. Já o A350-1000 foi considerado mas seu alto preço teria feito a aérea francesa colocar ele de lado nas negociações com a Airbus. A decisão sobre a substituição do A380 deverá ser feita no outono europeu (primavera no Brasil).

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos