Nigeriana Air Peace seleciona o jato E195-E2

A Embraer assinou um pedido firme de 10 jatos E195-E2 com a Air Peace, maior companhia aérea da Nigéria. O pedido foi divulgado hoje (03/04), durante o Airline Business Seminar da Embraer na África, realizado nas Ilhas Maurício.

Avião Embraer E195-E2 Air Peace
Perspectiva artística do E195-E2 da Air Peace – Imagem: Embraer

Com este pedido, a Air Peace se tornará o primeiro operador dos E-Jets E2 na África. O contrato inclui direitos de compra para mais 20 jatos E195-E2. Com todos os direitos de compra sendo exercidos, o contrato tem valor de USD 2,12 bilhões, com base nos atuais preços de lista. O pedido será incluído na carteira de pedidos firmes (backlog) da Embraer do segundo trimestre de 2019.

A Air Peace iniciou operações em 2014 e, desde então, tem crescido rapidamente. A companhia aérea é atualmente a maior da África Ocidental. Com a aquisição do E195-E2, a companhia aérea pretende atender à significativa demanda inexplorada no mercado africano.

O Presidente e CEO da Air Peace, Allen Onyema, afirmou que “é incrível nos tornarmos a primeira companhia a operar o E2 no continente africano. Já contamos com os jatos ERJ145 em nossa frota e conhecemos o alto padrão dos produtos da Embraer.”

Avião Embraer ERJ-145 Air Peace
Embraer ERJ-145 da Air Peace – Imagem: Embraer

“A Air Peace possui o tipo de espírito pioneiro que a Embraer adora. A companhia foi criada para oferecer oportunidades de trabalho altamente qualificadas ao povo da Nigéria e impulsionar a conectividade, o que significa contribuir para a economia da região. A Air Peace tem sido bem-sucedida em seus dois objetivos, se tornando uma companhia aérea de sucesso e rápido crescimento. É ótimo tê-la embarcando no programa E2”, disse Arjan Meijer, Chief Commercial Officer da Embraer Aviação Comercial.

Meijer continuou: “O mercado africano apresenta oportunidades significativas para as companhias aéreas fornecerem a conectividade de que o Continente precisa. Aeronaves, no entanto, devem ser dimensionadas corretamente para desenvolver essas rotas de maneira lucrativa: mais de 90% dos voos intra-africanos partem com menos de 150 passageiros a bordo. E mais de 70% dos mercados são servidos com menos de um voo por dia.”

Subsidiária da Air Peace, a Air Peace Hopper começou a operar seis ERJ145 no ano passado, em rotas curtas. Essa experiência com os produtos da Embraer, aliada aos inegáveis ​​benefícios econômicos do dimensionamento correto de aeronaves, foram fatores-chave na escolha do E2.

Informações pela Embraer.

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.