Airbus A220 da SWISS ficam proibidos de voar com potência máxima

Após três incidentes e a suspensão temporária da frota da SWISS, a agência reguladora da aviação da Suíça decidiu que os Airbus A220 ficarão proibidos de usar toda a potência durante todo o voo.

Airbus A220 SWISS
Airbus A220-300 da SWISS em Zurique: jato da foto (HB-JCJ) passou por desligamento de motor em voo em setembro

A decisão vem logo após o último incidente de desligamento de motor em voo, que ocorreu no dia 15 de outubro e foi o terceiro apenas na companhia aérea SWISS.

De imediato a SWISS decidiu por manter todos seus aviões no chão, suspendendo as operações do jato franco-canadense por um dia, até que todos os aviões fossem inspecionados.

Logo após isso, as aeronaves A220 retornaram gradualmente ao seu serviço, e uma investigação foi aberta pela FOCA (Escritório Federal para Aviação Civil) da Suíça.

Em um boletim técnico, que segue as instruções da sua equivalente canadense e da própria Airbus Canadá, a FOCA ordenou que a SWISS limitasse a 94% a potência máxima a ser aplicada nos motores Pratt & Whitney PW1500G, quando a aeronave estiver acima de 29 mil pés (8,8 km) de altitude. Potência acima disso nesta altitude pode causar problemas no motores.

Altitude máxima também foi limitada

Além da restrição de potência, a altitude máxima foi limitada a 35 mil pés (10,6 km) de altitude em condição em que possa ocorrer formação de gelo. Acima desta altitude, segundo a Airbus, a ativação do sistema anti-gelo pode causar um superaquecimento do motor, que irá ativar um alarme de fogo no motor e levar a um pouso de emergência.

No caso do dia 15 deste mês, a aeronave estava a 34 mil pés, pouco abaixo da limitação atual. Nos caso anterior de setembro, com a matrícula HB-JCJ, o jato estava a 33 mil pés porém em descida vindo de 39 mil pés.

Já no caso de julho, envolvendo o avião de matrícula HB-JCM, o Airbus A220 estava cruzando o nível de voo 320 (32 mil pés) quando houve a falha em um dos motores.

Vale lembrar que o nível máximo de voo do Airbus A220 é de 41 mil pés. Mas raramente a aeronave estará utilizando a potência máxima ou acima de 94% em níveis altos, já que a resistência do ar diminui bastante à medida que a altitude aumenta. Normalmente esta potência é aplicada apenas em decolagens e arremetidas, mas o boletim técnico não definiu o limite para estas etapas.

Com informações do jornal SwissInfo.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos