Airbus A321LR recebe certificação EASA e FAA para seus tanques extras

A Airbus deu um passo significativo hoje, 02 de outubro, para iniciar operações de longo alcance em sua versão A321LR (“Long Range”). A versão “mais capaz e flexível do A321neo até hoje” segundo palavras da fabricante, recebeu aprovação conjunta da EASA e FAA para operar com até três tanques centrais adicionais (ACTs) para operação ETOPS.




Avião Airbus A321neo A321]lr

Airbus A321neo LR

Este marco é uma das várias opções de melhora de capacidade do A321neo que, quando combinadas, permitem que a versão A321LR voe até 4.000nm com 206 passageiros e combustível extra armazenado em três ACTs, inclusive nas rotas ETOPS. Além disso, a autorização ETOPS permite até 180 minutos de tempo de desvio em voo monomotor, o que é suficiente para realizar qualquer rota transatlântica.

Com o alcance ampliado, a aeronave será capaz de voar sem escalas entre Lisboa e Recife, conforme infográfico divulgado hoje pela Airbus.

A certificação do A321LR inclui:
(a) aprovação da “grande modificação” para instalar até três ACTs opcionais no A321neo – com seus novos sistemas associados de gerenciamento de combustível e reforços estruturais da fuselagem inferior; e
(b) aprovação da opção “Airbus Cabin Flex” (ACF) do A321neo, que incorpora uma estrutura de fuselagem modificada com novos arranjos de portas, juntamente com uma capacidade máxima de peso máximo de decolagem (MTOW) de até 97 toneladas métricas.

Deve-se notar que apenas os A321neos que possuem a nova estrutura ACF podem oferecer o MTOW de 97t e a capacidade de instalar três ACTs. Anteriormente, a Família A321 podia acomodar até dois ACTs.

Embora a configuração do ACF se torne padrão para todos os novos A321neos entregues a partir de 2020, a capacidade de 97t MTOW e a capacidade de transportar até três ACTs serão opcionais.

Para os ACTs, os clientes especificariam, antes da fabricação, se a aeronave deve ser equipada com um sistema de gerenciamento de combustível expandido, bem como os reforços estruturais necessários para proteger os ACTs sob o piso.

A capacidade de adicionar ou remover ACTs, combinada com o Airbus Cabin Flex, a capacidade de 97t MTOW e a aprovação da EASA / FAA para usar os ACTs com ETOPS, juntos conferem flexibilidade inédita às companhias aéreas para layouts de cabine, densidade de assentos, carga útil, capacidade de combustível e roteamento de missão.

 
Informações pela Assessoria de Imprensa da Airbus.
 

Airbus planeja lançar o “A321XLR” para competir com novo projeto da Boeing

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.