Airbus A330-300 começa a ganhar destaque no mercado de cargueiros convertidos

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Se aparentemente a Airbus parou no tempo e “perdeu o bonde” ao não desenvolver projetos modernos de aviões voltados ao transporte de cargas, ao menos seus aviões de transporte de passageiros têm começado a se mostrar uma opção interessante no mercado de conversões.

Avião Airbus A330-300 P2F DHL EFW
Airbus A330-300 convertido para cargueiro – Imagem: EFW

Enquanto a Boeing domina por completo o mercado de cargueiros natos de produção com os modelos 767-300F, 777F e 747-8F, o Airbus A330-300 começa a se destacar como um bom jato a ser transformado para atender ao mercado de widebodies (aviões de fuselagem larga) de transporte de encomendas de médio alcance.

Diante do aumento do interesse de empresas aéreas pelo A330-300 P2F (designação que significa Passenger to Freighter, ou Passageiro para Cargueiro), mais um importante nome do mercado de conversões anunciou que lançará a alteração para o avião. Trata-se da IAI – Israel Aerospace Industries, que já oferece diversos outros modelos de aviões convertidos.

O A330-300 já vem sendo convertido pela EFW, uma joint venture entre a ST Aerospace e a Airbus, e agora a IAI anunciou em um Simpósio da Cargo Facts neste mês de novembro que vê o modelo como um substituto provável para o 767-300F, portanto, passará a desenvolver o projeto para incluir o Airbus em seu portifólio.

Para termos uma noção das capacidades dos dois modelos, segundo dados da Boeing o 767-300F puro de fábrica leva até 52,5 toneladas a uma distância de 6.025 km, enquanto segundo a EFW o A330-300 P2F leva até 61 toneladas a uma distância de 6.667 km, uma clara vantagem do Airbus.

Mas, além desse melhor desempenho do A330, o modelo ainda possui tecnologias um pouco mais modernas do que o bem mais antigo projeto do 767, o que o torna um candidato a permanecer por tempo atualizado para continuar em serviço.

Se a Airbus não tem se beneficiado da venda de novos aviões para o mercado cargueiro, ao menos com esse ganho de relevância das conversões do A330-300 a fabricante deve aproveitar um tempo mais longo de vida operacional dos aviões, o que se reflete, por exemplo, em maior volume de venda de peças de reposição e serviços de apoio de gestão de frota e manutenção.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Aeroporto Carlos Prates tem hoje evento gratuito de exposição de aviões...

0
Para celebrar o Dia do Aviador e ajudar a salvar o local, uma associação faz hoje um evento gratuito no Aeroporto Carlos Prates.