Airbus A330 volta 2 vezes a Recife após a mesma indicação de pane ao decolar

Avião Airbus A330-200 Azul Linhas Aéreas
A330-200 da Azul Linhas Aéreas

Na semana passada, uma indicação de pane com um Airbus A330 da Azul Linhas Aéreas foi reportada no sistema do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), tendo ocorrido duas vezes em duas decolagens seguidas.

Segundo os dados do CENIPA, a ocorrência aconteceu com o Airbus A330 registrado sob a matrícula PR-AIW, que estava realizando voo de Recife, em Pernambuco, para Campinas, em São Paulo, no dia 8 de julho.

A aeronave em questão realizou a decolagem do Aeroporto Internacional do Recife por volta das 18h15 do horário local (21h15 UTC), para cumprir um voo regular AD2923 com 10 tripulantes e 160 passageiros.

Durante a fase de subida do A330, a tripulação observou uma indicação de ‘L/G RETRACTION FAUL”, que se relaciona a falha no sistema de retração dos trens de pouso da aeronave.

Diante da indicação, segundo o CENIPA os pilotos inciaram os procedimentos de consulta no Manual de Referência Rápida do Airbus e decidiram que a melhor medida era retornar ao aeroporto de partida, sem declarar emergência. O pouso foi realizado normalmente e sem intercorrências, tendo sido feito abaixo do peso estrutural máximo permitido para pouso.

O A330 retornando na primeira decolagem – Imagem: FlightRadar24

Após uma intervenção da manutenção da Azul, a aeronave foi liberada para dar prosseguimento ao voo com destino à Campinas. O Airbus A330 realizou uma nova decolagem às 21h15 locais (00h15 UTC) com todos os 160 passageiros do voo anterior.

Novamente, durante a fase de subida da aeronave, a mesma indicação de ‘L/G RETRACTION FAUL’ foi apresentado aos pilotos que, diante disso, decidiram novamente retornar ao Aeroporto de Recife. O pouso mais uma vez foi realizado sem intercorrências e abaixo do peso estrutural máximo da aeronave.

O segundo retorno do A330 – Imagem: FlightRadar24

Embora possa parecer estranho a mesma indicação se repetir após a intervenção de manutenção, vale lembrar que é comum, não apenas na aviação, a ocorrência de panes intermitentes, ou seja, algo que se apresenta em uma condição ou momento, depois deixa de se apresentar e, por fim, em outro momento posterior volta a acontecer.

Uma situação deste tipo é uma possibilidade do que pode ter afetado o A330 na ocasião.

Segundo dados das plataformas de rastreamento de voos, o Airbus A330 PR-AIW voou normalmente pouco mais de um dia e meio após o segundo retorno, realizando suas operações sem mais intercorrências.

Leia mais:

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias

Piloto é atingido por laser ao pousar seu avião em Chapecó-SC

0
O empresário, que estava pilotando sua aeronave particular, foi atingido por um raio laser no momento em que se aproximava para pouso.