Airbus A380 da Qantas é visto em um longo voo de Los Angeles até Abu Dhabi

Um Airbus A380 da maior companhia aérea da Austrália, a Qantas Airways, realizou no início desta semana um voo de Los Angeles, na Califórnia, para os Emirados Árabes Unidos.

Airbus A380 Qantas
Airbus A380 da Qantas Airways taxiando – Imagem: Alan Wilson / CC BY-SA 2.0, via Wikimedia Commons

Devido à baixa demanda por voos por conta da crise do coronavírus, a Qantas precisou estocar toda sua frota de Airbus A380 desde o ano passado. Porém, um dos superjumbos, registrado sob a matrícula VH-OQC e que estava por 290 dias no aeroporto de Victorville, no deserto de Mojave, nos Estados Unidos, voou no dia 20 de maio para Los Angeles, também nos EUA.

O voo do A380, que tem quase 13 anos de idade e é batizado como Paul McGinness, foi feito para que a aeronave passasse por um procedimento de manutenção no hangar da Qantas em Los Angeles antes do longo voo.

Então, após algumas semanas nas instalações da companhia, com voo local de teste, o superjumbo partiu de Los Angeles no final do domingo, com destino a Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, em uma jornada de aproximadamente 16 horas e 30 minutos, percorrendo uma distância de cerca de 13.400 quilômetros.

Dados obtidos através da plataforma de rastreio de voos RadarBox mostram a longa trajetória da aeronave, que decolou na noite do domingo, dia 20 de junho, cruzando toda a América do Norte e o Atlântico Norte, até acessar a Europa pela Irlanda, depois passar por parte da África, com destino ao Oriente Médio, para pousar em Abu Dhabi na segunda-feira, dia 21 de junho.

Longa rota realizado pelo A380 / Imagem: RadarBox

Embora Abu Dhabi seja um local conhecido de manutenção de jatos A380, o motivo do superjumbo australiano ir até lá, segundo relata o Simple Flying, é simplesmente um novo armazenamento. Porém, a movimentação levanta expectativas de que a companhia possa estar se preparando para uma reintrodução do gigante na frota.

No mês passado, a Qantas disse que pretende ver pelo menos 6 de seus superjumbos voando até o final de 2023. O retorno do gigante aos céus vai depender, é claro, da demanda por voos internacionais, tanto para australianos quanto para visitantes estrangeiros, a níveis semelhantes ao pré-COVID.

Leiam mais:

Juliano Gianotto
Ativo no Plane Spotting e aficionado pelo mundo aeronáutico, com ênfase em aviação militar, atualmente trabalha no ramo de fotografia profissional.

Veja outras histórias

Avião Boeing 737-700 Gol Linhas Aéreas

GOL mantém bom ritmo mensal em novembro, veja os dados que...

0
A companhia transportou cerca de 2 milhões de passageiros em mais de 14,2 mil decolagens, incluindo o retorno de rotas internacionais.