Airbus anuncia conquista da certificação EASA do A330neo

O A330-900 recebeu sua Certificação de Tipo da Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA). Espera-se que a certificação da Federal Aviation Administration (FAA) siga em breve, já que os requisitos das duas maiores agências mundiais são praticamente os mesmos, em função dos acordos internacionais de aviação.

Com as certificações aprovadas, o A330neo estará apto a ser entregue para a TAP, operadora de lançamento do novo modelo, e à Azul, que nos próximos meses se tornará a primeira companhia aérea das Américas a receber o A330neo.

Avião Airbus A330-900 A330neo




O Certificado de Tipo foi assinado pelo Diretor de Certificação da EASA, Trevor Woods, e entregue pela Chefe de Certificação de Grandes Aviões da EASA, Ludovic Aron, ao Chefe de Engenharia de Aeronaves Comerciais da Airbus, Jean-Brice Dumont.

A sua primeira aeronave construída, que será entregue para a TAP com a matrícula CS-TUA, serviu como um demonstrador para o teste de rotas em todo o mundo. Visitou mais de 12 países, incluindo mais de uma vinda ao Brasil. O segundo A330neo produzido para a TAP, que receberá matrícula CS-TUB, também já levantou voo nesta semana, mas deve ser entregue à companhia antes do CS-TUA.

Juntamente com os outros dois aviões A330-900 de teste da Airbus, a campanha de voo de certificação foi concluída com sucesso em cerca de 1400 horas de teste de voo. Tudo em menos de um ano desde o primeiro voo, ocorrido em 19 de outubro de 2017.

Infográfico Airbus A330neo Certificação EASA

A330neo é uma família de nova geração que inclui o A330-900 e seu irmão menor, o A330-800, que fará seu primeiro voo nas próximas semanas.

Segundo a Airbus, o A330-900 possui o mais baixo custo por assento com seus 300 lugares, em função dos motores Rolls-Royce Trent 7000, de uma nova asa 3D otimizada e de novos sharklets com uso de materiais compostos mais leves. Juntos, esses avanços trazem uma redução significativa no consumo de combustível de 25% em comparação com aeronaves de gerações mais velhas de tamanho similar.

Operacionalmente, o A330neo compartilha uma classificação de piloto comum com o A350 XWB. O que facilita o custo mínimo de treinamento de voo e a produtividade máxima dos pilotos de uma companhia aérea que opere os dois modelos. O pessoal de manutenção também se beneficiará dos novos recursos de conectividade de dados Skywise da aeronave, que os ajudarão a prever possíveis problemas antes que eles surjam, garantindo assim a máxima produtividade da aeronave no serviço de receita.

 
Com informações da Assessoria de Imprensa da Airbus.
 

Azul posterga início dos voos internacionais com o Airbus A330neo

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.