Airbus conclui projeto e aviões já têm capacidade de decolarem e pousarem sozinhos

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Após um extenso programa de testes de voo de dois anos, a Airbus concluiu com sucesso seu programa de “táxi, decolagem e aterrissagem autônomos”, que é identificado pelo acrônimo ATTOL (“Autonomous Taxi, Take-off and Landing”).

Ao concluir este projeto, a fabricante alcançou o objetivo de ter uma aeronave comercial – um Airbus A350 nesse caso – taxiando, decolando e aterrissando de maneira autônoma, ou seja, baseado unicamente nos sensores e comandos dos computadores, que usam a tecnologia de reconhecimento de imagem a bordo – a primeira no mundo em aviação.

No total, foram realizados mais de 500 voos de teste. Aproximadamente 450 desses voos foram dedicados à coleta de dados brutos de vídeo, para suportar e ajustar algoritmos, enquanto uma série final de seis voos de teste, cada um incluindo cinco decolagens e pousos, foram usados ​​para testar os recursos desenvolvidos para o voo autônomo.

O projeto ATTOL foi iniciado pela Airbus para explorar como as tecnologias autônomas, incluindo o uso de algoritmos de aprendizado de máquina (“machine learning”) e ferramentas automatizadas para identificação de dados, processamento e geração de modelos, poderiam ajudar os pilotos a se concentrarem menos nas operações da aeronave e mais na tomada de decisões estratégicas e no gerenciamento de missões.

A Airbus agora pode analisar o potencial dessas tecnologias para melhorar as operações futuras das aeronaves, ao mesmo tempo em que melhora a segurança, garantindo a manutenção dos níveis sem precedentes de hoje.

A Airbus continuará pesquisando a aplicação de tecnologias como essa juntamente com outras inovações em áreas como materiais, sistemas de propulsão alternativos e conectividade. Ao aproveitar essas oportunidades, a Airbus está abrindo possibilidades para a criação de novos modelos de negócios que transformarão a forma como as aeronaves são desenvolvidas, fabricadas, transportadas, alimentadas e operadas.

O rápido desenvolvimento e demonstração das capacidades da ATTOL foi possível devido a uma equipe global multifuncional, composta por equipes de engenharia e tecnologia da Airbus, Airbus Defense and Space, Acubed (Project Wayfinder), Airbus China e ONERA sob a liderança do Airbus UpNext.

Informações da Airbus

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias