Airbus confirma certificação do A330-800neo, que terá motores do -900neo

EXCLUSIVO

O futuro do Airbus A330-800neo tem sido uma grande incógnita para a indústria de aviação comercial: a aeronave contava com apenas 8 encomendas do modelo menor da nova geração do A330 e, meses atrás, este número foi para zero.




A Hawaiian Airlines era a única cliente do modelo e decidiu trocar o Airbus pelo Boeing 787-9 DreamlinerO motivo da troca estava claro desde o início: ser a única operadora do modelo não era algo que agradava a Hawaiian, segundo disse o seu próprio presidente.

Os rumores da troca começaram em novembro do ano passado e a primeira confirmação saiu no dia 21 de fevereiro, apenas 15 dias depois da aeronave ter sua montagem inicial finalizada, faltando apenas instalações dos motores. Depois do cancelamento por parte da Hawaiian, nunca mais se falou no A330-800neo.

Este mistério todo acabou esta semana. Durante o voo de teste do A330-900neo da TAP entre Lisboa e São Paulo, tive uma longa conversa com Crawford Hamilton, chefe de marketing do programa A330, que nos falou sobre a versão menor do novo Airbus.

Fui direto ao assunto e perguntei se o protótipo teria sua construção finalizada, e ele respondeu de imediato: “Sim, nós vamos finalizar a construção dele, iremos voá-lo e certificá-lo. Inclusive os motores que estão nos impulsionando agora serão retirados desta aeronave e colocados nele assim que o -900neo for certificado”.

Troca de motores entre variantes é algo até então inédito na indústria, mesmo sendo praticamente a mesma aeronave. Por questão de economia, as variantes menores possuem o mesmo tipo de motor, mas com um impulso menor.

O A330-800neo já compartilha 95% dos componentes com o -900neo. Ao utilizar o mesmo motor, esse número pode chegar a praticamente 99%, sendo que a única diferença prática é o tamanho e peso da aeronave (e o que esses dois fatores acarretam em relação à capacidade de passageiros e alcance).

Segundo Crawford, a Airbus acredita que há mercado para o A330-800neo. Atualmente, são 1.703 encomendas totais da família A330 e a família tem, inclusive, vendido mais que o Boeing 787 desde o lançamento do A330neo: de 2014 até meados deste ano foram 419 encomendas do A330ceo/neo contra 405 do 787.

“É uma questão de tempo, o mercado é grande e estamos confiantes de que a aeronave será vendida em breve”, complementou Crawford. Duas possíveis opções da Airbus agora são a Uganda Airlines e a IndiGO que, segundo reportes, teriam escolhido o A330-800neo para suas novas frotas de longo curso.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos