Airbus considera oferecer versão Combi do gigante avião A380

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Com o fim da produção do maior avião de passageiros do mundo, o A380, a Airbus pode dar nova vida a ele com uma versão “meio-cargueira”.

O projeto A380, concebido para levar de 500 até 800 pessoas num só voo, principalmente desafogando hubs (aeroportos concentradores de voos), chegou um pouco atrasado no tempo e, apesar do sucesso inicial, logo se tornou economicamente inviável, tendo sido produzidas apenas 246 unidades.

A última unidade inclusive já saiu da fábrica de Toulouse, e agora está na Alemanha para receber pintura e interior. Mas isto não significa o fim definitivo do projeto A380, e a Airbus viu uma nova oportunidade para a aeronave: virar Kombi, ou melhor dizendo, Combi.

Desde o início do projeto, muito se falou sobre a versão cargueira do jato, que inclusive foi oficialmente proposta e recebeu encomendas da FedEx para o chamado A380F.

Porém, com o atraso da versão de passageiros, a própria FedEx cancelou a encomenda de 10 unidades do A380F, que ficou sem clientes e a Airbus decidiu colocar fim ao projeto.

Divulgação – Airbus

Mas a ideia de versão cargueira sempre foi debatida, até mesmo numa conversão dos aviões de passageiros que estão hoje disponíveis e sendo desmontados. Porém, três importantes fatores inviabilizam esta ideia, mas que podem ser contornados com a versão Combi proposta. Todos os três fatores dizem respeito ao próprio tamanho do A380.

O primeiro deles, é que não existem hoje elevadores de carga que tenham altura suficiente para elevar a carga ao nível do segundo deck da aeronave, portanto, somente o nível inferior seria utilizado.

O segundo fator é que a carga no andar superior teria grande restrição de peso, já que o segundo piso, por características próprias do projeto, não poderia ser reforçado, algo comum e necessário na conversão de passageiros para carga.

Por fim, o segundo andar tem teto e volume menores, de forma que não seria capaz de acomodar os pallets padrões de 3 metros (10 pés) do segmento de frete aéreo.

Mas tudo isso não seria problema na versão Combi, que deriva de Combined, mas que também é referência direta à versatilidade de transporte de cargas ou passageiros da perua da Volkswagen.

Nos aviões Combi, incluindo o rival Boeing 747 Jumbo, cargas e passageiros vão no mesmo piso, normalmente com as cargas indo na seção traseira, como é o caso do Jumbo – visto na foto abaixo sendo carregado com cargas enquanto está acoplado à ponte de embarque de passageiros:

Amsterdam Schiphol Airport - 25-02-2016

Porém, no A380 isto seria diferente e inédito: os passageiros iriam no segundo deck e a carga no primeiro piso, sem restrições. A informação foi divulgada por exclusividade pelo portal FreightWaves, que conversou com um representante da Airbus.

“Se tiver interesse por parte dos clientes numa versão cargueira do A380, podemos olhar isso no futuro, mas teria que ser algo entre 50 e 60 encomendas para ser viável”, afirmou Bart Greer, porta-voz da Airbus ao portal.

A Airbus não comentou sobre a porta de carga que teria que ser adicionada no piso inferior, e se a versão híbrida também poderia contaria com passageiros no primeiro deck caso o cliente desejasse.

Com a Pandemia do Coronavírus e a demanda com carga aérea reprimida ainda por um bom tempo, caso a conversão seja viável e com preço atrativo, será uma boa opção para a continuidade da operação com o A380, que já teve diversas versões que não foram levadas adiante:

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias