Airbus ainda levou grande encomenda de jatos A330neo ao encerrar seu excelente 2019

Após todas as grandes notícias positivas da Airbus em 2019, a fabricante europeia revelou neste começo de 2020 que ainda recebeu um grande pedido adicional de jatos A330neo nos últimos dias do ano.

Avião Airbus A330-900 A330neo

Segundo o Flight Global, o pedido foi realizado no dia 23 de dezembro, mas ainda é atribuído a um cliente não identificado. Os dados de carteira de pedidos da Airbus mostram que o contrato contempla 40 unidades da maior variante da família, o A330-900.

Com a encomenda, os pedidos brutos do A330neo no ano passado atingiram 104 aeronaves, sendo a grande maioria, 98 deles, do modelo -900. Os pedidos líquidos, após algumas unidades canceladas, totalizaram 99.

Além dos 40 jatos de corpo largo (dois corredores), a Airbus fechou dezembro com encomendas de mais 3 modelos de corpo estreito (um corredor): a Air France e a empresa de leasing Nordic Aviation Capital firmaram seus pedidos para um total de 80 A220; a United Airlines fechou um contrato para 50 A321neo; e houve ainda um A319neo de um cliente particular.

Quem teria sido o responsável pela bela encomenda de 40 A330neo?

Um excelente 2019

Aproveitando a profunda crise da rival Boeing, e certamente por méritos próprios também, a Airbus teve um excelente 2019.

A empresa bateu sua meta prevista para o ano, depois de entregar um total de 863 aeronaves, marcando um novo recorde e ainda conquistando a liderança da rival norte-americana Boeing.

A mudança na hierarquia entre os dois gigantes até era esperada, como consequência da crise sobre o 737 MAX, mas o recorde surpreendeu, já que em outubro a Airbus foi forçada por seus próprios problemas industriais a reduzir entre 2 e 3% sua meta de entrega de 2019. No fim, empregou horas extras até próximo da meia-noite, superando a meta revisada de 860 jatos.

Adicionalmente, os aviões da família Boeing 737 deixaram de ser as aeronaves mais voadas anualmente no mundo, perdendo o título para a família Airbus A320.

Mesmo com duas décadas a menos de existência, a família A320 já se posiciona bem próxima dos jatos norte-americanos em número de unidades produzidas. E, mesmo ainda estando atrás em quantidade de aeronaves, deixou para trás a Boeing em dois critérios: número total de voos e de horas voadas. Confira mais detalhes a seguir:

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduado em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias

Testes de COVID antes do embarque precisam substituir as quarentenas, diz...

0
A IATA pediu o desenvolvimento e a implementação de testes de COVID-19 rápidos, precisos, de baixo custo, fáceis de usar, escalonáveis e sistemáticos