Início Sem categoria Airbus vê interrupção no consumo de caixa no terceiro trimestre deste ano

Airbus vê interrupção no consumo de caixa no terceiro trimestre deste ano

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Airbus Frota

Airbus relatou hoje (29) seus resultados financeiros consolidados para os nove meses encerrados em 30 de setembro de 2020. “Após nove meses de 2020, vemos agora o progresso feito na adaptação de nosso negócio ao novo ambiente de mercado sob a COVID-19”, disse o CEO da Airbus, Guillaume Faury.

O CEO destacou que, apesar da recuperação mais lenta das viagens aéreas do que o previsto, a fabricante europeia viu uma convergência da produção e das entregas de aeronaves comerciais no terceiro trimestre, além de uma interrupção do consumo de caixa, em linha com sua ambição.

“Nossa capacidade de estabilizar o fluxo de caixa no trimestre nos dá confiança para emitir uma orientação de fluxo de caixa livre para o quarto trimestre”, completou Faury.

Pedidos, entregas e receita

Os pedidos líquidos de aeronaves comerciais totalizaram 300 unidades (contra 127 no mesmo período de 2019), com a carteira de pedidos compreendendo 7.441 aeronaves comerciais em 30 de setembro de 2020.

A Airbus Helicopters registrou 143 pedidos líquidos (contra 173 em 2019), incluindo 8 H160s e 1 H215 durante o terceiro trimestre. A entrada de pedidos da Airbus Defense and Space aumentou para € 8,2 bilhões, com o terceiro trimestre incluindo um A330 MRTT adicional, bem como ganhos de contratos em satélites de telecomunicações.

O valor das Receitas Consolidadas diminuiu para € 30,2 bilhões (ante € ​​46,2 bilhões dos mesmos 9 meses do ano passado), impulsionada pelo difícil ambiente de mercado que afeta o negócio de aeronaves comerciais, com cerca de 40% menos entregas ano a ano.

Um total de 341 aeronaves comerciais foram entregues neste período (2019: 571 aeronaves), compreendendo 18 A220s, 282 da Família A320, 9 A330s e 32 A350s. Limitando-se apenas ao intervalo do terceiro trimestre de 2020, um total de 145 aeronaves comerciais foram entregues, sendo 57 entregas em setembro.

Aviões Airbus Família neo
Imagem: Airbus

A Airbus Helicopters relatou receitas amplamente estáveis, refletindo entregas mais baixas de 169 unidades (2019: 209 unidades) parcialmente compensadas por serviços mais elevados. As receitas da Airbus Defense and Space refletiram principalmente os menores volumes nos Sistemas Espaciais e do A400M, bem como o impacto da COVID-19 nas fases dos negócios.

EBIT

O EBIT Consolidado Ajustado – uma medida de desempenho alternativa e indicador chave que captura a margem de negócios subjacente – totalizou € 125 milhões negativos (nos 9 meses de 2019 foi de € ​​4,133 bilhões positivos).

O EBIT Ajustado da Airbus de € 641 milhões negativos (9 meses de 2019: € ​​3,593 bilhões positivos) refletiu principalmente a redução nas entregas de aeronaves comerciais e a menor eficiência de custos. Também incluiu € 1 bilhão negativo de encargos relacionados com a COVID-19.

As medidas necessárias foram tomadas para adaptar a estrutura de custos aos novos níveis de produção e os benefícios vão se materializando à medida que o plano é executado. No final de setembro, o número de aeronaves comerciais que não puderam ser entregues devido à COVID-19 havia siso reduzido para cerca de 135.

O EBIT ajustado da Airbus Helicopters aumentou para € 238 milhões (9 meses de 2019: € ​​205 milhões), refletindo uma combinação favorável, serviços mais elevados, uma contribuição positiva da execução do programa, bem como menores despesas com Pesquisa e Desenvolvimento (P&D).

O EBIT ajustado na Airbus Defense and Space diminuiu para € 266 milhões (9 meses de 2019: € ​​355 milhões), refletindo principalmente o menor volume em Sistemas Espaciais, especialmente no negócio de lançadores devido ao impacto da COVID-19, parcialmente compensado por medidas de redução de custos.

O EBIT consolidado (reportado) foi de € -2,185 bilhões (9 meses de 2019: € ​​3,431 bilhões), incluindo ajustes totalizando € -2,060 bilhões líquidos. Esses ajustes compreenderam:

– € -1,200 bilhões registrados no terceiro trimestre relacionados ao plano de reestruturação de toda a empresa, dos quais € -981 milhões foram para a Airbus e € -219 milhões para a Airbus Defense and Space. O valor leva em consideração medidas de apoio do governo;
– € -358 milhões relacionados ao custo do programa do A380, dos quais € -26 milhões foram no terceiro trimestre;
– € -374 milhões relativos ao descasamento do pagamento de pré-entrega em dólares e avaliação do balanço, dos quais € -209 milhões no terceiro trimestre;
– € -128 milhões de outros custos incluindo conformidade, dos quais € -11 milhões foram no terceiro trimestre.

Perspectiva

Como base para sua orientação do quarto trimestre de 2020 para o fluxo de caixa livre e financiamento de clientes, a empresa não assume maiores interrupções na economia mundial, no tráfego aéreo, nas operações internas da Airbus e em sua capacidade de fornecer produtos e serviços.

Com base nisso, a empresa tem como meta, pelo menos, atingir o equilíbrio de fluxo de caixa livre antes de M&A e financiamento ao cliente no quarto trimestre de 2020.

Informações da Airbus

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.