Airbus irá encerrar a produção do A380 em 2021

Após a decisão da Emirates em reduzir seus pedidos e a Qantas desistir de novos A380, a Airbus confirmou nesta quinta-feira que irá encerrar a produção do gigante em 2021.

Airbus A380 em pouso no Rio de Janeiro

A Emirates tinha 56 A380 ainda para serem entregues, mas decidiu trocar 42 destes pedidos por aeronaves A330-900neo e A350-900XWB.

“Como resultado desta decisão [da Emirates] não temos pedidos que justifiquem a continuidade da produção, apesar de todo nosso esforço em vendas com as aéreas nos últimos anos. Isso resulta no fim das entregas do A380 em 2021” declarou Tom Enders, CEO da Airbus.

O A380 não é apenas uma conquista extraordinária da engenharia e da indústria. Passageiros pelo mundo amam voar nesta grande aeronave. O anúncio de hoje é doloroso para nós e para a comunidade do A380 no mundo. Mas mantenham em mente que o A380 irão voar pro muitos anos ainda, e a Airbus irá continuar dado suporte aos operadores desta aeronave” conclui Tom.

O Sheikh Ahmed Bin Saeed Al Maktoum, CEO da Emirates, comentou sobre a decisão: “Após meses de discussões, nós tivemos um acordo com a Airbus e a Rolls-Royce. A Emirates sempre foi uma grande apoiadora do A380 desde a sua concepção. Apesar de estarmos desapontados em desistirmos das nossas encomendas e tristes pelo fim do programa, nós aceitamos esta realidade. Para nós, o A380 é uma aeronave incrível, amada por nossos clientes e tripulação, é um diferenciador para a Emirates. Nós mostramos que realmente as pessoas podem voar melhor no A380, e a Emirates definiu padrões em experiência a bordo que são únicas na aeronave como os chuveiros e o lounge a bordo. O A380 será um pilar na nossa frota até a década de 2030, e como sempre a Emirates irá investir no produto a bordo para garantir que os seus clientes tenham a experiência Emirates A380 como a topo de linha”.

A Airbus irá começar nas próximas semanas discussões com parceiros sociais e sindicais sobre os 3 mil empregados que podem ser impactados com o fim da produção da aeronave. Porém o aumento na produção do A320 e o novo pedido da Emirates para outros widebody devem aumentar o número de migrações internas.

O alto consumo de combustível da aeronave comparado com aviões bimotores associado ao fim da tendência de voos hub-to-hub deixou o A380 sem mercado, e logo sem clientes.

Com informações da Assessoria de Imprensa da Airbus

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Avião Boeing 767-300 Azur Air

Boeing 767 da Azur com 346 a bordo bateu a cauda...

0
Uma inspeção na pista revelou vestígios de contato da fuselagem com o solo, evidenciados por tinta e metal ao longo de uma distância de 101 metros.