Airbus anuncia modificação para transformar aeronaves de passageiros em cargueiros

A Airbus divulgado hoje que está desenvolvendo uma modificação para as famílias de aeronaves A330 e A350, que possibilitará às companhias aéreas instalar pallets para acomodação de carga diretamente no piso das aeronaves, utilizando os trilhos dos assentos de passageiros da cabine, após a remoção das poltronas da classe econômica.

Segundo a fabricante, a solução auxiliará a continuidade dos negócios das Empresas Aéreas, bem como aliviará a baixa na oferta de carga transportada nos porões, provocada pela interrupção das operações de aeronaves de passageiros de grande alcance, por conta da pandemia do novo coronavírus. Também se prestará a atender a demanda por voos humanitários necessários para transportar equipamentos médicos e suprimentos a longas distâncias.

Ainda segundo a Airbus, em comparação ao transporte de carga nos assentos, que vem sendo realizado por vários operadores, esta solução facilitará e tornará mais veloz as operações de carga e descarga das aeronaves, bem como reduzirá o desgaste dos assentos em si. Outros importantes benefícios incluem segurança através de robusta proteção contra incêndio e utilização de sistema de retenção de carga resistente a 9G de forma a evitar movimentação da carga durante as operações de transporte.

A modificação, segundo o site FlightGlobal, permite a instalação de 30 pallets nos aviões do modelo A350 e 28 nos do modelo A330. Cada pallet é capaz de acomodar 260 kg de carga com um volume de 27m3. Há também uma pequena demanda para equipar o modelo A340.

Yann Lardet, piloto de teste e vice-presidente de operações de voo da Airbus, declarou que a Empresa estaria preparada para analisar a aplicação da modificação nos A380 caso haja solicitação por parte de clientes. Também segundo Lardet, a conversão da aeronave para a configuração de carga poderá ser feita em “alguns dias”.

Teste para transporte de carga em cabine - ilustrativo.
Interior de uma aeronave modificada – Imagem: Airbus

A modificação será oferecida aos operadores na forma de Boletim de Serviço. Desta maneira a Airbus define o escopo do trabalho de engenharia e gerencia o processo de obtenção da certificação da modificação junto à Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA), de forma ágil e direta, tornando a modificação, após a aprovação da EASA, disponível aos operadores de forma imediata.

Dentro do escopo do Boletim de Serviço estarão as instruções para a remoção dos assentos de passageiros e sistema de entretenimento em voo, a instalação dos pallets de carga e itens de segurança associados, bem como instruções para a reinstalação dos assentos e o retorno da aeronave à0condição de transporte de passageiros. A modificação permanecerá disponível aos operadores mesmo após o término da pandemia.

Ainda segundo o FlightGlobal, cerca de 20 operadores, não identificados, solicitaram assistência regulatória para modificações dessa natureza.

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Rodnei Diniz
Engenheiro aeronáutico e mecânico, atuante em gestão de manutenção aeronáutica, aviação geral, executiva e comercial. Atento aos detalhes, gosta de ler e escrever sobre a história da aviação.

Veja outras histórias

Aprovado projeto do monotrilho entre Aeroporto de Guarulhos e estação de...

0
A novela sobre a ligação férrea que foi construída até o Aeroporto de Guarulhos, mas que não chegava até o aeroporto, dirige-se a um fim.