Airbus quebra o silêncio e fala sobre cortar 30% da produção de aeronaves

Há cerca de dez dias, a fabricante europeia Airbus postou um comunicado em seu site informando à imprensa que não iria se manifestar sobre planos futuros naquele momento. No entanto, hoje a empresa emitiu uma nota ao mercado.

Após um sólido desempenho comercial e industrial no início do ano, a Airbus agora está revisando suas taxas de produção para baixo para se adaptar ao novo ambiente de mercado do Coronavírus.

No primeiro trimestre de 2020, a Airbus registrou 290 pedidos líquidos de aeronaves comerciais e entregou 122 aeronaves. Outras 60 aeronaves foram produzidas durante o trimestre, destacando o sólido desempenho industrial, porém não foram entregues devido à evolução da pandemia do COVID-19.

Um total de 36 aeronaves foram entregues em março para as diferentes famílias de aeronaves, ante 55 em fevereiro de 2020. Isso reflete as solicitações dos clientes para adiar entregas, bem como outros fatores relacionados à pandemia COVID-19 em andamento.

As novas taxas médias de produção daqui para frente foram definidas da seguinte forma:

● A320 para 40 por mês

● A330 para 2 por mês

● A350 para 6 por mês

Isso representa uma redução das taxas médias pré-coronavírus de aproximadamente um terço. Com essas novas taxas, a Airbus preserva sua capacidade de atender à demanda dos clientes, enquanto protege sua capacidade de se adaptar ainda mais à medida que o mercado global evolui.

A Airbus está trabalhando em coordenação com seus parceiros sociais para definir as medidas mais apropriadas para se adaptar a essa situação nova e em evolução. A Airbus também está executando um plano de contenção de caixa de curto prazo, bem como sua estrutura de custos de longo prazo.

“O impacto dessa pandemia é sem precedentes. Na Airbus, proteger nosso pessoal e apoiar a luta contra o vírus são nossas principais prioridades neste momento. Estamos em constante diálogo com nossos clientes e parceiros da cadeia de suprimentos, pois todos estamos passando por esses momentos difíceis juntos ”, disse o CEO da Airbus, Guillaume Faury. “Nossos clientes são fortemente impactados pela crise do COVID-19. Estamos adaptando ativamente nossa produção à nova situação e trabalhando em medidas de mitigação operacional e financeira para enfrentar a realidade. ”

Em seu esforço para apoiar a luta contra o COVID-19, a Airbus realizou um extenso trabalho em coordenação com os parceiros para garantir a saúde e a segurança de seus funcionários. Isso foi alcançado através da implementação de novos padrões e processos de trabalho rigorosos. A Airbus está contribuindo para o desenvolvimento, fornecimento e transporte de equipamentos médicos, incluindo máscaras faciais e ventiladores, em apoio aos serviços médicos de saúde.

Com informações da Airbus

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

CR929: concorrente sino-russo do Boeing 787 começa a ser produzido nesse...

0
Está marcada para esse ano de 2021, em data a confirmar, o início da produção da aeronave de longo alcance CR929, desenvolvida em conjunto