Airbus realmente prepara um A350-1000 de ultra-longo-alcance

Avião Airbus A350-1000

Muitas das companhias aéreas do mundo começam a colher as recompensas financeiras e ambientais da introdução de aeronaves mais leves e mais eficientes em termos de consumo de combustível, como o Airbus A350 XWB e o Boeing 787 Dreamliner.

Com um preço relativamente baixo do petróleo (caso esse cenário não mude significativamente após os ataques da Árabia Saudita) e uma forte demanda contínua internacional, as versões de ultra-longo-alcance (ULR – ultra long range) dessas aeronaves de material composto vão ganhando força e popularidade.

E, segundo informações do Aviation Analyst, a Airbus, fabricante europeia que já lançou o A350-900ULR para o mercado de longo curso, está em negociações finais com várias companhias aéreas antes do lançamento formal do A350-1000ULR, a variante de alcance ultra-longo do maior membro da família A350 XWB.

O comprometimento da Airbus em construir uma ‘família’ de alcance ultra-longo segue conversas extensivas com uma variedade de clientes de companhias aéreas, muitos dos quais demonstraram interesse em pedir potencialmente ou converter pedidos existentes do A350 em um A350-1000ULR capaz de voar mais longe e mais pesado do que o A350-900ULR existente.

Assim, o A350-1000ULR também enfrentará o 777X da Boeing, e a Airbus pretende disponibilizar a aeronave para os clientes das companhias aéreas antes que o 777X consiga se apossar significativamente da parte extrema do mercado de longo curso.

Avião Boeing 777X
Boeing 777X com suas pontas de asa dobráveis

Alan Joyce, CEO da Qantas, testou a Airbus e a Boeing pedindo aos dois fabricantes que desenvolvessem uma aeronave capaz de voar por 21 horas, como entre Londres e Sydney.

A transportadora de bandeira australiana está considerando o Airbus A350-1000ULR (Ultra Long Range) e o Boeing 777-8, e a decisão será anunciada no quarto trimestre de 2019, confirmou Joyce recentemente.

E esse novo projeto passa a ter grande força na Qantas, que já eliminou a perspectiva de encomendar o A350-900ULR existente, citando menor capacidade de passageiros, enquanto a Boeing congelou recentemente o desenvolvimento da versão -8 do 777X até uma decisão posterior sobre prosseguir ou não com o projeto.

A Singapore Airlines foi o cliente de lançamento do A350-900ULR, capaz de voar até 9.700 milhas náuticas (17.960 km) ou cerca de 20 horas sem parar, dependendo da capacidade de assentos a bordo.

A companhia opera a aeronave nos voos mais longos do mundo, inclusive entre Cingapura e Nova York, que cobrem uma distância de mais de 8.000 milhas náuticas (14.800 km) ao longo de aproximadamente 18 horas de tempo de voo.

Primeiro Avião Airbus A350ULR Singapore
Primeiro Airbus A350 Ultra Long Range (ULR) da Singapore

No entanto, a aeronave está configurada em um layout de duas classes de baixa ocupação. Sem classe econômica padrão, com 67 assentos da Classe Executiva e 94 assentos Premium Economy, a Singapore Airlines fica vulnerável às complexidades de equilíbrio que um voo premium pode apresentar a uma companhia aérea.

O A350-900ULR existente não requer tanques de combustível adicionais em relação ao A350-900 padrão. Em vez disso, faz um melhor aproveitamento do espaço já disponível na estrutura dos tanques existentes para transportar 6.340 galões extras de combustível.

Para o A350-1000ULR, além de transportar este combustível extra, são cruciais um aumento do peso máximo de decolagem e da capacidade de carga útil (para reduzir a necessidade de estabelecer restrições caras de carga útil em rotas com forte demanda comprovada, como a ‘rota Kangaroo’ para a Austrália).

Embora a Qantas busque se beneficiar de um jato que possa ser implantado em uma rota de longo curso, um A350-1000ULR também teria espaço nas atuais companhias aéreas operadoras do A380, para substituir o Superjumbo em rotas de alta demanda e longa distância.

No início deste ano, o CEO da Qatar Airways, o Sr. Akbar Al Baker, disse que a Airbus aumentaria o peso máximo de decolagem do A350-1000 a partir do próximo ano [2020].”

Ele acrescentou: “Quando a Airbus aumentar o peso máximo de decolagem do A350-1000, este jato poderá fazer, com menor capacidade, as mesmas rotas que o 777X, inclusive para a Austrália.”

Avião Airbus A350-1000

Até agora, apenas quatro companhias aéreas receberam o A350-1000: Qatar Airways, Cathay Pacific, British Airways e Virgin Atlantic. A aeronave tem mostrado possui uma forte confiabilidade de despacho (fica pouco tempo em solo) e foi descrita pela Qatar como tendo “a melhor entrada em serviço que já experimentamos em um jato da Airbus”.

“Não houve problemas iniciais, o que é incomum para um novo avião”, disse também um executivo da Cathay Pacific, após cinco meses de serviço do A350-1000 na companhia aérea de Hong Kong.

A Airbus recebeu quase mil pedidos de aeronaves da família A350 XWB, consistindo os modelos A350-900, A350-900ULR e A350-1000. As expectativas são bastante elevadas para o novo -1000ULR e a Boeing vai precisar provar a qualidade de 777X para não perder uma fatia importante deste mercado.

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.