Airbus terá que entregar 76 aviões ao mês para cumprir meta de 2018

Por dois anos a Airbus enfrentou uma escassez de motores e teve que desacelerar as entregas de jatos. Agora, os motores estão chegando rápido, mas problemas recentes fazem com que a fábrica de Hamburgo tenha dificuldade para absorvê-los, disseram fontes da indústria à Reuters.




Avião Airbus A320neo

Airbus A320neo – Imagem: Airbus

As dificuldades internas impulsionaram os atrasos de entregas, deixando a Airbus com o desafio de entregar 76 aviões de corredor único por mês no último trimestre, de acordo com os consultores do Flight Ascend. O ritmo representaria 9,6% mais entregas do que o recorde anterior.

A Airbus está trabalhando arduamente para manter a meta deste ano de 800 entregas totais de aeronaves. O valor é necessário para atender às metas financeiras, e as linhas de montagem da família A320 são a base mais importante para isso.

“Eles estão atrasados. Todo mundo está bravo com eles. Eles estão se escondendo atrás dos problemas do motor”, disse um comprador de aeronaves sênior, referindo-se à tendência de se concentrar a culpa nos retardatários mais visíveis, sem realmente enfrentar os problemas dos atrasos.

Outras fontes da indústria dizem que Hamburgo pode não ser a fonte exclusiva do problema, mas que esta instalação teve o pior impacto no quebra-cabeças global de montagem da Airbus. Isso porque é lá que a nova versão do A321 está sendo desenvolvida ao mesmo tempo em que a produção está rodando mais rápido do que nunca.

Isso ilustra um desafio mais amplo à medida que os fabricantes de aviões se esforçam para introduzir novos modelos e consertar problemas técnicos, sem parar os aumentos recordes de produção – uma tarefa que alguns comparam a um ciclista pegar a subida mais íngreme em uma corrida enquanto tenta consertar um pneu furado.




As entregas do A321, feito principalmente na Alemanha, aumentaram mais em maio, já que os motores atrasados ​​começaram a entrar, mas desaceleraram novamente em setembro, segundo dados da Airbus.

Avião Airbus A321neo

A321neo. Imagem: Divulgação / Airbus

Agora, a Airbus está lançando a nova versão A321neoACF, que oferece cabines mais flexíveis, mas que requer configuração complexa.

Uma das fontes disse que a montadora de Hamburgo estava enfrentando alguns problemas com o cabeamento dos jatos, despertando lembranças de problemas de cabeamento que assolaram o Superjumbo A380 há uma década.

Um porta-voz da Airbus confirmou que a nova versão personalizada do A321neo havia “levado a um reescalonamento das entregas de aeronaves”, em combinação com a pressão dos aumentos de produção e a fila de jatos ainda aguardando a entrega da crise do motor.

 
Informações pela Reuters.
 

Airbus levará mais um ano para colocar em dia as entregas dos A320neo

Boeing afirma que atrasos dos 737 só devem se reduzir no final do ano

Primeiro Airbus A330-800neo tem montagem finalizada




Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.