Airbus usa rota um tanto incomum para entregar três A350-1000 à Qatar Airways

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Avião Airbus A350-1000 Qatar Airways

Na noite de ontem (22), a Qatar Airways celebrou o recebimento de três aeronaves Airbus A350-1000. Em tempos de pandemia, uma entrega em lote como essa soa estranha, inclusive por ser a primeira em oito meses à empresa árabe, mas faz parte do plano de renovação da frota da companhia, que certamente sabe o que faz.

No entanto, o fato que mais chamou a atenção foi a rota que as aeronaves de matrículas A7-ANO, A7-ANR e A7-ANQ fizeram.

Ao invés de um voo direto entre Toulouse, na França, e Doha, no Catar, os três jatos fizeram uma volta enorme, sobrevoando o Reino Unido. Observando o trajeto no sistema de rastreamento do FlightRadar24, é possível verificar que, após a decolagem, os aviões seguiram ao norte, cruzando todo o território francês, entraram em espaço aéreo britânico e, então, fizeram meia-volta, rumo à Doha.

Para que eles fizeram isso?

Na verdade, essas aeronaves estão sendo arrendadas pela Qatar Airways junto a uma empresa de leasing britânica que, por contrato, exige a presença dos jatos no espaço aéreo do Reino Unido para que as cláusulas sejam ativadas. Em tempos de corte de custos, tal motivo parece um tanto quanto contraditório e sem sentido, mas ainda acontece.

E, pelo que mostra o FlightRadar24, cerca de 15 minutos naquele espaço aéreo parecem suficientes para preencher todos os formulários necessários do leasing (seria graças ao WiFi a bordo?). Certamente, essa é mais uma oportunidade de melhoria e de eliminação de burocracias, que apenas geram custos desnecessários.

Por fim, com essa entrega, a Qatar passa a ter uma frota de 52 aeronaves Airbus A350, contando os das séries 900 e 1000, dos quais foi o cliente de lançamento.

Receba as notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias