Alitalia pode ter encontrado a luz no fim do túnel que precisava para evitar sua falência

O governo italiano planeja conceder um novo empréstimo-ponte de 350 milhões de euros por seis meses à companhia aérea Alitalia, como parte do seu processo de venda. Esse valor seria necessário enquanto a empresa pública Ferrovie dello Stato (FS), encarregada de desenvolver um plano para resgatar a companhia aérea Alitalia e a concessionária de rodovias Atlantia, trabalham no projeto.

Luz no fim do túnel

Como uma espécie de luz no fim do túnel, a companhia aérea italiana Alitalia recebeu uma oferta da operadora de rodovias Atlanti e das ferrovias estatais Ferrovie dello Stato (FS) na terça-feira para resgatá-la, desde que atendidas várias condições. A luz verde evitará a ameaça de liquidação que paira sobre a transportadora doente.

Vários obstáculos ainda precisam ser superados antes que a terceira tentativa de recuperação da história da Alitalia possa ser lançada. O plano estatal envolve a criação de uma nova empresa para manter os bons ativos da Alitalia e receber uma injeção de caixa estimada em cerca de 1 bilhão de euros dos socorristas. Em duas declarações separadas na terça-feira, a Atlantia, controlada pela família Benetton, e a FS disseram que continuariam com ofertas vinculativas para a companhia aérea, desde que uma companhia aérea líder no mercado também estivesse disposta a investir na Alitalia.

Atlantia e FS estão em negociações desde julho com a Delta Air Lines, mas no comunicado dessa semana não mencionaram nem a transportadora americana nem a alemã Lufthansa, que recentemente disse que poderia estar interessada. Os dois investidores italianos disseram que estavam prontos para assumir uma participação minoritária na nova Alitalia, mas ainda precisam finalizar um acordo sobre um plano de negócios e uma estrutura de governança.

Uma mão lava a outra

Um investimento da Atlantia na companhia aérea pode ajudar a melhorar sua reputação com Roma após ameaças da coalizão governista de revogar as concessões das rodovias do grupo após um colapso da ponte no ano passado, que matou 43 pessoas. A Atlantia opera metade dos 6.000 quilômetros de estradas com pedágio da Itália através de sua unidade ASPI, que gera um terço do lucro do grupo.

Em suas declarações na terça-feira, Atlantia e FS pediram autorização da União Europeia para assumir o financiamento concedido à Alitalia pelo estado desde 2017, o que equivale a 900 milhões de euros até agora. Fontes disseram que a companhia aérea pode precisar de mais dinheiro para sobreviver até que o plano de resgate comece.

As duas empresas também pediram ajuda adicional ao governo para possíveis cortes de empregos relacionados à recuperação da Alitalia. A Alitalia é administrada por administradores especiais desde maio de 2017, depois de duas tentativas anteriores de resgate sem êxito em 2009 e 2014.

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.