Alitalia segue inchada, queima dinheiro e ajuda do governo demora a chegar

A Alitalia queima dois milhões de euros por dia e corre o risco de fechar 2020 com pelo menos 750 milhões de prejuízo. Os números não são finais ainda, mas é certo que a situação é dramática e a caixa registadora chora. 

Segundo o Il Mattino, o comissário especial do governo italiano, Giuseppe Leogrande, que atua para reerguer a Alitalia, junto com a diretoria atual da empresa, diz que a companhia aérea nacional italiana tem agora apenas 260 milhões de dinheiro no caixa e clama pela ajuda prometida pelo governo do país.

Embora o governo tenha alocado três bilhões de euros para a nova Alitalia a fim de financiar sua restruturação e arcar integralmente com as demissões de 6.500 dos 11 mil trabalhadores, é necessário que esse dinheiro chegue aos cofres da empresa, dizem os administradores.

Como efeito, existe o risco concreto de que a demora venha a causar novos e mais danos à transportadora aérea que, como recordou Leogrande, enfrenta uma grande crise no meio de uma situação de mercado extremamente instável. “É enorme o colapso do mercado e das vendas devido à pandemia”, reiterou ele.

Apesar de um decreto já haver sido aprovado para criação da “Nova Alitalia”, ela ainda não foi totalmente estabelecida, já que os membros do conselho da nova empresa não foram definidos, além de seu tamanho ainda não ter sido ajustado, já que as demissões e reduções de frota não saíram do papel até o momento atual.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Boeing 737 arrasta-se pela pista após falha de trem de pouso

0
O mais grave da situação não foi o acidente da aeronave em si, mas uma deficiência que poderia ter levado a um fim muito pior.