Amazon quer aeroporto próprio e frota de proporções épicas

Jeff Bezos fez questão de dar o pontapé inicial da obra que vai construir um gigantesco terminal no aeroporto de Cincinatti / North Kentucky. A obra tem previsão de durar três anos a um custo total de cerca de US$ 1,5 bilhão.

É um monumental projeto que tem o objetivo de consolidar a posição da Amazon no varejo, além de reduzir a penetração de mercado da FedEx e da UPS, duas gigantes das entregas, mas que não operam com a cadeia completa (da venda à entrega).

A meta da Amazon é operar com 100 aeronaves até 2025, hoje a empresa tem 32 (sendo 3 Boeing 737-800F e 29 Boeing 767-300F). Para o futuro, Bezos não comentou, mas deixou-se entender que será o maior operador aéreo de cargas do mundo.

Duas áreas no aeroporto foram concedidas à Amazon, num contrato de exploração de 50 anos. Quando a obra ficar pronta, em 2021, a companhia estará empregando diretamente mais de 2.000 pessoas na operação do hub.

As obras serão inicialmente conduzidas no setor sul do aeroporto, como mostra a área azul escura da imagem acima. Caso o empreendimento seja bem sucedido (e certamente será), a empresa poderá expandir para a área demarcada em azul claro.

Pelo mapa não é possível ter uma ideia clara, mas as dimensões são impressionantes. A Amazon divulgou um vídeo com algumas renderizações, dá só uma olhada:

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Airbus vende 56 aviões para a Índia e 40 deles serão...

0
É o primeiro programa aeroespacial 'Make in India' no setor privado, envolvendo o desenvolvimento de um ecossistema industrial completo.