American Airlines faz voos de testes para simular a distribuição da vacina contra Covid

A equipe da American Airlines Cargo disse em um comunicado que está se preparando para seu papel crítico no transporte da vacina contra o coronavírus, uma vez aprovada. Em meados de novembro, a unidade de carga da American começou a realizar voos de teste, em conjunto com parceiros farmacêuticos e de carga, de Miami à América do Sul em suas aeronaves Boeing 777-200. 

Os voos de teste simulam as condições exigidas para a vacina COVID-19 para testar a embalagem térmica e o processo de manuseio operacional que, em última instância, garantirá que ela permaneça estável enquanto se move ao redor do mundo.

Embora a situação seja única, a tarefa não é nova para a American – a operação de carga da companhia aérea tem enviado remédios por mais de oito décadas. Desde o início da pandemia, a American tem transportado centenas de milhares de libras de equipamentos de proteção individual, equipamentos médicos, kits de teste da COVID-19 e produtos farmacêuticos para ajudar a combater o coronavírus. Como especialista reconhecida, a American está envolvida no transporte de componentes para testes de vacinas COVID-19 de Fase III, incluindo o transporte rápido e seguro de vacinas e amostras de teste para instalações de pesquisa em todo o mundo em ambiente ultra-frio.

Trato especial

Muitas vacinas, incluindo a da COVID-19, precisam de tratamento especial para manter uma temperatura fria consistente durante toda a viagem. A American tem uma rede estabelecida de instalações e equipes que se especializam em remessas de temperatura crítica e estão familiarizados com o manuseio da variedade de requisitos que diferentes produtos farmacêuticos podem precisar.

Este nível de cuidado especializado rendeu à American o prestigioso Centro de Excelência para Validadores Independentes em Logística Farmacêutica (CEIV Pharma) da International Air Transport Association. A certificação CEIV é concedida a transportadoras aéreas e participantes da cadeia de abastecimento de carga aérea que estabeleceram as ferramentas, procedimentos e pessoal para garantir que os produtos de ciências biológicas sejam devidamente manuseados e cheguem ao seu destino com total eficácia.

Mais do transporte

As remessas de vacinas podem ser enviadas em “recipientes ativos” com controles de temperatura embutidos que regulam e monitoram as remessas durante o transporte, ou “recipientes passivos” que são resfriados com bolsas de gelo ou gelo seco em um sistema fechado projetado para manter o produto frio em sua jornada.

A rede global de instalações com temperatura controlada da companhia fornece uma variedade de tipos de clima para armazenamento de produtos farmacêuticos e manuseio especializado enquanto as vacinas estão sob os cuidados da companhia aérea. Desde o momento em que uma remessa chega às instalações da companhia aérea, ela é rastreada ao longo de sua jornada em terra e do Centro de Controle de Carga da American, localizado no Controle de Operações Integradas da companhia aérea em Dallas.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

De forma inesperada, RIOgaleão recebe Airbus A350-1000 pela 1ª vez em...

0
A aeronave permaneceu em solo por pouco mais de 2 horas, tendo então decolado para finalmente se dirigir a seu destino original.