ANAC está nos EUA avaliando o Boeing 737 MAX, que pode ser liberado em outubro

Os processos de certificação do Boeing 737 MAX avançam ao redor do mundo, com os recentes voos de testes da Administração de Aviação Federal do EUA (FAA) seguidos das provas da agência canadense e, por fim, da europeia, ao longo das últimas semanas. Todas essas baterias de testes coletaram dados que vão dar suporte à futura liberação do Boeing 737 MAX, depois que as autoridades concluírem positivamente em relação à aeronave.

O MAX agora está passando por uma avaliação de modificações implementadas, a chamada avaliação operacional, que é diferente do voo de teste.

ANAC tem um time nos EUA

Atenta a todo esse movimento está a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), que tem profissionais nos Estados Unidos acompanhado de perto as modificações do Boeing 737 MAX e os testes em solo e em voo das demais agências.

Conversamos com a Gerência Técnica de Relações com a Imprensa da ANAC, que nos esclareceu sobre os rumores de voos de testes com o 737 MAX no Brasil, no entanto, não existe essa previsão.

“A avaliação operacional está ocorrendo nesses dias em solo americano e com especialistas e pilotos da ANAC, da autoridade de aviação canadense TCCA, da autoridade de aviação europeia EASA e da autoridade de aviação americana FAA. No escopo das atividades das autoridades para a retomada das operações do 737 MAX, não há procedimento previsto para ocorrer com aeronaves da GOL em Confins”, afirmou a ANAC em nota.

Recertificação no próximo mês?

Conversamos com funcionários da Boeing em Seattle, que preferiram não ter seus nomes revelados, mas nos contaram que a empresa planeja algo grande para o próximo mês. Segundo eles, um e-mail foi enviado dias atrás falando para os empregados “expect a big announcement in October“, ou traduzindo para português, “esperem um grande anúncio em outubro”.

Mais detalhes não foram dados pela companhia, mas todos os rumores apontam para a recertificação pela FAA do 737 MAX, que já estaria na fase de aprovação dos novos manuais de treinamento, incluindo as modificações no MCAS.

Mas isto não significa que o MAX irá voltar a voar comercialmente em outubro, já que ele deve ser aprovado por cada agência do país do operador e também de onde ele irá voar. Some-se a isso o novo treinamento, pelo qual os pilotos e as empresas aéreas serão submetidos.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias