Análise mostra os impactos da pandemia nos aeroportos: perdas também bilionárias

Airports Council International (ACI) World publicou sua quinta análise de impacto econômico da COVID-19, revelando o efeito devastador na indústria aeroportuária e as perspectivas de recuperação.

O Boletim Consultivo “O impacto da COVID-19 nos negócios aeroportuários” revela que a indústria aeroportuária global registrará uma redução de mais de 6 bilhões de passageiros até o final de 2020 em comparação com a previsão pré-COVID-19 para 2020, representando um declínio de -64,2% do tráfego global de passageiros.

Prevê-se que a Europa e o Oriente Médio sejam as duas regiões mais afetadas, com quedas acima de -70% em comparação com a linha de base projetada, enquanto a Ásia-Pacífico iniciou a recuperação mais cedo e mais rápido do que outras regiões e tem previsão de fechar o ano de 2020 com uma queda de -59,2%, em uma recuperação que foi impulsionada por grandes mercados domésticos como a China. Com isso, a Ásia-Pacífico é a única região registrando uma contração menor do que -60%.

Esperava-se que a indústria aeroportuária gerasse cerca de US$ 172 bilhões este ano, mas o impacto da crise da COVID-19 nas receitas dos aeroportos resultará em uma redução de US$ 111,8 bilhões (ou -65% em comparação com a previsão pré-COVID-19).

A ACI World desenvolveu cenários explorando a potencial trajetória de recuperação e, no cenário de linha de base, o tráfego doméstico de passageiros deverá se recuperar para os níveis de 2019 até 2023, com a recuperação do tráfego internacional de passageiros seguindo em 2024.

“A pandemia resultou em uma crise de transporte em grande escala, com a aviação praticamente paralisada em abril, após bloqueios impostos em muitos países na segunda quinzena de março”, disse o Diretor Geral Mundial da ACI, Luis Felipe de Oliveira.

“Agora estamos vendo alguns sinais positivos e as perspectivas são um pouco melhores para a recuperação, mas ainda há um longo caminho a percorrer. Uma coisa é certa, o mundo será diferente depois desta pandemia”, complementa.

Anúncios recentes de testes de vacinas bem-sucedidos estão oferecendo esperança de uma recuperação sustentada, mas as campanhas de vacinação levarão tempo e a indústria precisa de assistência governamental e apoio político agora para estabelecer uma base sólida para a recuperação.

Uma abordagem consistente para o teste deve ser implementada agora para promover viagens e eliminar as medidas restritivas de quarentena com uma abordagem coordenada e baseada no risco para combinar teste e vacinação introduzida daqui para frente.

“Os testes e vacinas juntos desempenharão um papel fundamental na recuperação do setor, proporcionando aos passageiros um ambiente de viagem seguro e aumentando a confiança nas viagens aéreas”, finaliza o Diretor.

A ACI World também descobriu que, no longo prazo, prevê-se que o tráfego global possa levar até duas décadas para retornar aos níveis de tráfego das projeções anteriores.

Informações da Airports Council International (ACI)

Claudio Brito
Apaixonado por aviação desde o berço como filho de comissário de bordo, realizou o sonho de criança se tornando comissário em 2011 e leva a experiência de quase 10 anos no mercado da aviação. Formado Trainer em Programação Neurolinguística, conseguiu unir suas duas paixões, comunicação e aviação.

Veja outras histórias