Antonov 225 completa maior sucessão de voos em uma única missão

AN-225 durante o carregamento – Imagem: ANTONOV

A Antonov Airlines completou com sucesso o 12º voo na mais longa sucessão de voos do AN-225 em uma única missão no histórico operacional da aeronave.




A companhia aérea ucraniana entregou 12 módulos de geração de vapor por recuperação de calor (HRSG), cada um pesando 160 toneladas, para a Hansa Meyer Global Transport GmbH & Co em doze voos consecutivos do Chile para a Bolívia.

A configuração inicial da carga não permitia seu carregamento na aeronave por ser muito alta e, como resultado, os pontos de içamento foram retrabalhados. O projeto alterado, que passou a apresentar juntas aparafusadas, permitia remover os pontos de içamento das cargas quando elas eram colocadas sobre a rampa de carga, o que, por sua vez, reduzia a altura das cargas.

Ao chegar ao destino, as cargas eram removidas do AN-225 até a rampa de carregamento, e os especialistas no local reinstalavam os pontos de levantamento em suas posições iniciais, fixando-os com parafusos para posterior elevação e descarga usando guindastes externos. Além disso, um sistema de carregamento especial de baixo perfil projetado por especialistas da ANTONOV Company foi usado para lidar com a grande altura da carga.

Rampa de carregamento do AN-225 – Imagem: ANTONOV

A distribuição de peso da carga de peça única no piso da aeronave também foi um problema, pois inicialmente excedeu os valores máximos permitidos para o AN-225, a maior aeronave do mundo. Sistemas de amortecimento especiais foram introduzidos para lidar com a distribuição de peso da carga.

A tripulação de voo recebeu treinamento especial que levou em conta as características do projeto da carga, para atender às forças g máximas permitidas durante a decolagem, o voo e o pouso. A ANTONOV Airlines garantiu a segurança da carga dentro da aeronave com um padrão especial de amarração, desenvolvido especificamente para o projeto, que permitia a fixação de um número calculado de pontos de amarração e de pontos especiais de guincho para os cabos dos guinchos internos da aeronave.

Equipes da operação especial – Imagem: ANTONOV




Como o Aeroporto de Chimore, no Bolívia, não tem infraestrutura para operações noturnas, todo o processo, incluindo o descarregamento da carga e a partida da aeronave, teve que ser completado estritamente durante o dia. Equipamentos adicionais para manutenção de aeronaves e descarga de carga, incluindo uma unidade de energia do solo e uma empilhadeira, tiveram que ser levados ao aeroporto.

A ANTONOV Airlines ainda transportou seu próprio trator de reboque do Aeroporto de Gostomel, em Kiev, Ucrânia, para o Chile, a fim de garantir o reboque do avião durante os doze voos, já que não havia nenhum trator com a potência necessária disponível no Aeroporto de Iquique.

Todas as partes envolvidas neste projeto multinacional ganharam uma valiosa experiência no fornecimento de soluções logísticas usando o AN-225, lançando as bases para uma cooperação frutífera no futuro.

Imagem: ANTONOV

 
Informações pela Antonov.
 

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.