O desafio de voar com grandes peças da Vale da Austrália até Belém nos Antonov 124

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Imagem: Antonov Airlines

Neste dia 25 de março, a Antonov Airlines, empresa aérea que opera vários grandes cargueiros AN-124 Ruslan, divulgou algumas novas informações sobre o desafio do transporte especial realizado entre o final de fevereiro e o começo de março entre a Austrália e o Brasil.

Conforme acompanhamos, foram dois exemplares do enorme avião cargueiro An-124, o segundo maior do mundo em capacidade de carga, que realizaram as três operações de volta ao mundo para trazer até Belém, no Pará, equipamentos para a mineradora brasileira Vale.

Segundo a Antonov, quem fretou os três voos dos AN-124 em nome da Vale foi a Chapman Freeborn, empresa especializada em fretamentos aéreos, e a operação movimentou uma remessa de 370 toneladas de novas peças de equipamento para as operações de mineração.

Os engenheiros de planejamento de carga de Antonov projetaram estruturas sob medida para transportar duas das peças do equipamento. A carga foi carregada e descarregada usando as soluções de engenharia internas da Antonov para as cargas de projeto de grandes dimensões.

Os voos tiveram uma série de paradas técnicas devido ao peso total da carga, além das restrições da COVID-19 no descanso da tripulação nos aeroportos da rota. Os testes rápidos de COVID-19 foram realizados durante cada janela de descanso de 14 horas antes da próxima etapa do voo ser liberada.

A carga incluía um eixo de perfuração gigante, além de um berço de transporte que era necessário para movimentar o maquinário no destino final com o mínimo de tempo de inatividade afetando as operações da Vale.

Imagem: Antonov Airlines

Imagem: Antonov Airlines

“O cronograma era desafiador – inicialmente nosso plano de voo era de seis dias no total, mas precisamos mudar para nove dias após a avaliação da carga”, disse Ana Bocchini, corretora de cargas da Chapman Freeborn. “No final, tudo veio junto com um planejamento meticuloso e com a mudança de algumas etapas da jornada para evitar atrasos e pistas fechadas.”

Volodymyr Goncharov, Executivo Comercial da Antonov Airlines, disse: “Foi um projeto desafiador, que tivemos de concluir em um prazo apertado. O uso de duas aeronaves AN-124 para transportar por via aérea essas cargas de projetos especiais nos permitiu realizar o programa de voos de volta ao mundo com sucesso.”

Como vimos aqui no AEROIN, a primeira aeronave a chegar em Belém retornou à Austrália para cumprir a terceira operação, enquanto a segunda aeronave fazia a segunda operação.

Volta ao mundo de um dos AN-124 durante as operações

Relembre, acessando os títulos a seguir, essas operações especiais em Belém:

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias