Antonov fala dos planos para os gigantes An-225, An-124 e demais modelos

Oleksandr Donets é o chefe da Antonov desde junho de 2018. No início de sua carreira, ele próprio era engenheiro na fabricante de aeronaves ucraniana, subindo para o cargo de engenheiro-chefe responsável pelos testes de voo até assumir a direção da companhia no ano passado.

Em entrevista ao Aero Telegraph na data de ontem, 05 de novembro, Donets falou sobre o programa de substituição de peças russas, planos para o An-124 e a recorrente história da conclusão do segundo An-225, o maior avião do mundo. Acompanhe a seguir.

Avião Antonov An-225
Antonov An-225 – Imagem: Antonov

Taxa de Produção

Quando questionado sobre a taxa de produção da Antonov na atualidade e para os próximos anos, Donets detalhou que a fábrica de Antonov é capaz de produzir de 10 a 15 aeronaves por ano.

A fabricante busca atender requisitos de clientes da melhor maneira possível, levando à necessidade de adaptar o equipamento para cada operador. “Por exemplo, a aeronave que faremos para o Departamento de Emergência será significativamente diferente da aeronave para as companhias aéreas.”

Problemas com peças russas

Quanto aos problemas com o fornecimento de peças por parte da Rússia, Donets afirmou que os especialistas da Antonov já concluíram o trabalho para solucionar a crise. “É possível dizer que a seleção dos artigos ucranianos e ocidentais, que devem substituir os russos, está concluída. A documentação correta foi preparada.”

Alguns artigos de fornecedores foram testados em bancadas de teste, enquanto utros vários componentes foram instalados nas aeronaves experimentais da família An-148 / An-158. Contratos para a compra dos novos itens restantes já estão prontos.

Nota Aeroin: em junho desta ano, o tribunal distrital de Kiev (Ucrânia) prendeu e proibiu a operação de cinco aeronaves Antonov An-124 da companhia russa Volga-Dnepr Airlines a pedido da Direção Central da Polícia Nacional em Kiev como consequência de uma disputa entre a Antonov e a Rosaviation, empresa russa que briga pelo direito de produzir e alterar os aviões ucranianos. Veja mais detalhes clicando aqui.

Acordo com a Aviall, subsidiária da Boeing

Quando perguntado sobre o acordo com a Boeing, o chefe da fabricante ucraniana não forneceu maiores detalhes. Apenas afirmou que a Antonov agradece a possibilidade de cooperação com a empresa. “Atualmente, estamos trabalhando conforme os acordos existentes com eles.”

Nota Aeroin: em julho deste ano, a Antonov fechou acordo com a Boeing para que a empresa norte-americana forneça peças e componentes para substituir os similares russos. Veja mais detalhes sobre o acordo clicando aqui.

Rival russo para o An-124

Avião Antonov An-124 Volga
Antonov An-124 Ruslan

Donets também falou sobre a questão da concorrência dos russos em relação ao modelo An-124, o segundo maior avião da Antonov.

Para ele, a questão não é preocupante, pois o An-124 Ruslan foi desenvolvido pelo escritório de design de Oleg Antonov, então a empresa Antonov tem o status de designer e proprietário do certificado de tipo para esta aeronave. “Não negamos a possibilidade técnica deles realizarem uma modificação profunda do An-124-100 Ruslan. Mas a seleção e instalação de novos equipamentos pela russa Ilyushin Design Bureau levará a mudanças significativas no desempenho da aeronave em comparação com o modelo base. Então, um novo avião aparecerá na história da aviação.”

Dessa forma, o concorrente russo precisará de um novo nome sem referência a “An”, pois a empresa Antonov não está envolvida no desenvolvimento desta nova aeronave e não é responsável por sua segurança.

Modernização do An-124

Sobre a modernização do 124, Donets afirma que a Antonov está constantemente trabalhando na modernização modelo com o objetivo de garantir que essas aeronaves cumpram os requisitos internacionais atuais e futuros.

Em particular, o próximo passo no programa de atualização do Ruslan é uma nova modificação do An-124-100M-150. Comparado à aeronave base, a carga útil já foi aumentada de 120 toneladas para 150 toneladas, o peso máximo de decolagem de 392 toneladas para 402 toneladas e o alcance com carga útil de 120 toneladas aumentou de 4650 para 5400 quilômetros. 

Foi possível o carregamento e descarregamento de itens individuais pesando 40 toneladas, com equipamentos a bordo. O An-124-100M-150 foi equipado com os sistemas mais inovadores, aviônicos modernizados e radar.

Redução de tripulação de voo

O chefe da Antonov foi questionado quanto à necessidade de uma equipe de voo de seis pessoas para operar o An-124 – dois pilotos, dois engenheiros de voo, um navegador e um comunicador.

Mas, segundo Donets, o próprio An-124-100M-150 já opera com quatro membros na tripulação, e os trabalhos de modernização seguem em andamento para mais reduções.

Continuidade do An-148

Quando questionado sobre a continuidade e a modernização do modelo An-148, Donets afirmou que ele “provou ser bastante bom em operação sob várias condições. Os operadores de aeronaves da América Latina, Ásia e África manifestaram interesse por essa aeronave.”

Mas, como mencionado acima, Donets ressalta que é necessário concluir o programa de substituição de peças e materiais fabricados na Rússia por contrapartes ucranianas e ocidentais para continuar a produção da An-148.

Os An-158 parados em Cuba

Avião Antonov An-158
Antonov An-158 – Imagem: Oleg Belyakov

Sobre a frota de 6 aeronaves An-158 fora de serviço em Cuba, Donets detalha que a Antonov iniciou a renovação e o fornecimento de suporte completo à frota dos jatos regionais da Cubana de Aviación.

Sob os termos do acordo com a South American Aircraft Leasing do Panamá, os especialistas da Antonov analisarão, na primeira fase, o status técnico de todas as aeronaves da companhia aérea cubana. Posteriormente, começará a segunda fase, na qual a aeronavegabilidade é restaurada. Com base nos resultados, um kit de primeiros socorros será criado para colocar as aeronaves em uma operação mais regular e à prova de falhas.

As duas primeiras aeronaves devem ser renovadas no primeiro trimestre de 2020.

Sobre a retomada da produção do modelo, ele afirmou que a Antonov pretende retomar a produção do An-158, mas a situação com esta aeronave é a mesma que com o An-148.

Status do An-178 e a conquista da licitação das forças armadas peruanas

Sobre a aeronave de tamanho médio An-178, Donets afirmou que os testes de certificação estão em andamento, mas que parte do programa de testes do An-178 foi concluída usando artigos de fabricantes russos.

Após a troca de componentes russos por ucranianos e ocidentais, novos testes ainda precisarão ser realizados. “Até o momento, a produção de cinco An-178 está planejada. A licitação do Ministério do Interior peruano foi vencida pela empresa estatal ucraniana Spetstechnoexport, que foi autorizada a apresentar a An-178.”

Planos de construir novos An-225 com a China

Avião Antonov An-225
Anotnov An-225, o maior avião do mundo

Sobre a construção do maior avião do mundo, o An-225 Mriya, Donets lamenta que o projeto seja caro. “É uma infinidade de trabalhos de projeto e pesquisa necessários para construir uma nova aeronave de acordo com os padrões internacionais atuais. Neste trabalho, a compra de novos equipamentos e certificação custará centenas de milhões de dólares. Esse projeto pode ser bem-sucedido dentro de um programa aeroespacial, mas não para o setor de transporte comercial. Um An-225 é suficiente neste segmento. O An-124-100 é mais eficaz em tais missões.”

“Temos quase uma estrutura inteira de um segundo Mriya: casco, cauda, ​​asas. Mas cerca de 80% do equipamento da aeronave precisa ser redesenhado. A China estava interessada na cooperação neste projeto, mas o contrato não foi assinado.”

Nota Aeroin: nos arredores de Kiev, na Ucrânia, um velho edifício industrial passa quase sempre despercebido. Mas em seu interior encontra-se um capítulo inacabado de um dos maiores feitos da aviação soviética, o maior avião do mundo que nunca foi concluído, o segundo Antonov An-225. Veja mais detalhes dessa história clicando aqui.

Planos de novas aeronaves civis da Antonov

Sobre novos projetos, Donets não se deu ao trabalho de revelar nada concreto. “Claro que vemos o potencial e continuamos a trabalhar no desenvolvimento. Nossa prioridade é a construção de aeronaves da família Аn-1Х8.”

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.