Apesar de ir comprar da concorrente, Neeleman quer mais Embraer na nova empresa

A compra de 20 jatos adicionais Airbus A220, concorrentes dos aviões da Embraer, não significa o fim da frota brasileira na Breeze Airways de David Neeleman.

Imagem: Breeze Airways

O empresário brasileiro-americano, nascido em São Paulo, e que fundou as empresas aéreas Morris Air, WestJet, JetBlue Airways e Azul Linhas Aéreas, anunciou hoje que a sua nova empreitada, a americana Breeze Airways, terá mais 20 jatos Airbus A220. Ainda assim, a empresa, que começou com jatos Embraer E190-E1 e E195-E1 usados, alguns vindos da irmã Azul Linhas Aéreas, vai ampliar sua frota de aviões brasileiros.

O plano original era usar os Embraer até a chegada dos A220, mas os aviões brasileiros continuarão por algum tempo a mais na frota. Além disso, segundo a Reuters, Neeleman disse que vai agregar ao menos mais seis jatos Embraer para a empresa em 2022, indicando que os aviões brasileiros ficarão bem mais tempo que o esperado.

Não está claro se os aviões serão mais alguns oriundos da Azul ou se virão de outras empresas, mas é um sinal claro que a operação com os E1 tem dado certo.

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagem pela Avianca Brasil. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias