Aporte do governo na TAP Air Portugal pode chegar a $ 1 bilhão de euros

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

No meio do mês passado, o governo português, através do primeiro-ministro Antonio Costa, disse que não descarta a possibilidade de nacionalizar a TAP Air Portugal para salvar a companhia aérea nacional. Agora, nessa semana, o SIC Notícias traz uma análise em que conclui que o aporte de capital federal na empresa aérea pode chegar à quantia impressionante de $1 bilhão de euros, mas que a nacionalização não seria uma alternativa.

Segundo o comentarista político e econômico do Jornal, Luís Marques Mendes, o governo além de injetar dinheiro, ainda precisa decidir qual será o modelo de intervenção na empresa e que nacionalização da companhia aérea seria uma alternativa fora de questão.

Ao invés disso, e para que a salvação da TAP seja viabilizada, o governo deveria buscar um outro investidor que também colocasse mais dinheiro na empresa. No entanto, esse parece ser um cenário bastante difícil de se concretizar (embora não impossível, diga-se), haja visto que o posicionamento atual dos capitalistas tem sinalizado para o lado contrário, ou seja, da retirada (ou, no máximo, na manutenção) das suas posições nas empresas.

Não é uma lei, mas se usar o restante do mundo como benchmark, vemos os governos arcando com linhas de recursos para sustentar as suas empresas nacionais, enquanto investidores fogem o quanto podem, um exemplo disso foi a saída de Warren Buffet das posições que tinha em empresas americanas, retirando $8 bilhões de dólares, mesmo no prejuízo.

Para qualquer lado que o barco avance, seja para a nacionalização, seja para um modelo misto à semelhança do atual, é certo que a empresa não encerrará suas operações. Para muitos do lado do governo, que veem com desconfiança o “sócio privado”, está aí a oportunidade dourada de nacionalização.

De qualquer maneira, e qualquer que seja o caminho, é necessário que a decisão seja tomada rápida, pois o caixa da TAP está acabando, segundo o comentarista disse ao Jornal Econômico, e “daqui a um mês haverá ruptura de pagamentos ou algo do gênero”, disse.

Há cinco meses, o polêmico Marques Mendes disse que a TAP era uma bomba-relógio e que não tinha “racionalidade econômica e financeira”, isso antes da covid-19 chegar, assista:

Receba as notícias em seu celular, acesse o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias