Após 2 horas no ar, Boeing completa o primeiro voo do 737 MAX 10

Foto: Boeing

O maior avião da família 737 MAX, o Boeing 737-10, realizou hoje, com sucesso, seu primeiro voo. A aeronave decolou do Renton Field em Renton, Washington, às 10:07 da manhã (horário local) e pousou 2 horas e 21 minutos mais tarde no Boeing Field, em Seattle.

“O desempenho do avião foi maravilhoso”, disse a piloto chefe do 737, Comandante Jennifer Henderson. “O voo nos permitiu testar os sistemas, controles de voo e qualidades de manuseio da aeronave e todos performaram exatamente como esperávamos.”

O voo de hoje deu início a um programa de teste abrangente do 737-10. A Boeing trabalhará em estreita colaboração com as agências reguladoras para certificar o avião antes de sua entrada em operação, prevista para 2023.

“O 737-10 é uma parte importante dos planos de frota de nossos clientes, dando-lhes mais capacidade, maior eficiência de combustível e a melhor economia por assento do que qualquer outro avião de corredor único”, disse Stan Deal, presidente e CEO da Boeing Commercial Airplanes. “Nossa equipe está empenhada em entregar uma aeronave com a mais alta qualidade e confiabilidade.”

O 737-10 pode transportar até 230 passageiros. Ele também incorpora melhorias ambientais, cortando as emissões de carbono em 14% e reduzindo o ruído em 50%, em comparação com os atuais 737s Next-Generation. 

A Boeing desenvolve e fabrica aviões comerciais e produtos de defesa e segurança, bem como oferece serviços de manutenção globais para clientes em mais de 150 países. Uma das principais exportadoras dos EUA, a empresa trabalha com uma base global de fornecedores para promover oportunidades econômicas, sustentabilidade e impacto na comunidade.

Informações da Boeing

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Ideia de Donald Trump para o Força Aérea Um ainda está...

0
Durante seu mandato, o ex-presidente dos EUA, Donald Trump, estava disposto a acabar com uma tradição que vinha desde os longínquos anos 1960