Após 59 anos, passageiros do misterioso voo Flying Tiger 739 são relembrados

Foto de RuthAS via Wikimedia

Em 16 de março de 1962, o voo 739 da Flying Tiger Line estava em uma missão secreta, mas desapareceu sobre o Oceano Pacífico. A bordo estavam 93 soldados do Exército dos Estados Unidos, 3 sul-vietnamitas e 11 membros da tripulação civil. Muito pouco se sabe sobre o que aconteceu com o avião e seus passageiros, e devido às circunstâncias misteriosas que cercam esta missão, os nomes dos americanos ainda não haviam sido adicionados até agora ao Memorial dos Veteranos da Guerra do Vietnã em Washington, DC. 

No entanto, muitas famílias e entes queridos desses homens estiveram reunidos em Columbia Falls, na semana passada, onde a organização sem fins lucrativos Wreaths Across America (WAA) inaugurou um novo monumento dedicado a seu serviço e sacrifício pelos EUA.

Histórico do voo

O voo 739 da Flying Tiger era operado por um avião Lockheed L-1049 Super Constellation fretado pelos militares dos Estados Unidos. A aeronave decolou da Base Aérea de Travis, Califórnia, para Saigon, no Vietnã. Depois de reabastecer na Base Aérea de Andersen, em Guam, o avião seguia para mais uma escala nas Filipinas, quando desapareceu sem deixar rastros. Todos os 107 a bordo foram declarados desaparecidos e considerados mortos.

O desaparecimento do avião levou a uma das maiores buscas aéreas e marítimas da história do Pacífico. Aeronaves e navios analisaram mais de 520.000 km2 durante oito dias. Ocupantes de um navio-tanque civil relataram que viram o que parecia ser uma explosão em voo, embora nenhum vestígio de destroços tenha sido encontrado. 

Sem pistas, o Conselho de Aeronáutica Civil determinou que, com base nas observações do navio-tanque, o avião do voo 739 provavelmente explodiu em voo, embora uma causa exata não pudesse ser determinada. Este foi o pior acidente de aviação envolvendo a série Lockheed Constellation.

O memorial

O novo memorial, feito inteiramente de granito, com 2,4 metros de altura e 3 metros de largura, exibe o nome de cada um dos 93 soldados do Exército a bordo, bem como os nomes dos 11 membros da tripulação de voo, muitos dos quais eram veteranos da Segunda Guerra. 

A inscrição na pedra diz: “Desaparecido em ação; Presume-se que esteja morto. O voo 739 da Flying Tiger Line desapareceu em 16 de março de 1962 , com 93 soldados do Exército dos EUA a bordo. Esses homens e sua tripulação morreram no que se tornaria um dos maiores mistérios da aviação fora do Vietnã, na era da guerra.

O terreno onde este monumento foi erguido foi doado pelo fundador da WAA, Morrill Worcester, e está localizado na ponta do jardim, onde os arbustos são colhidos todos os anos para fazer coroas de flores dedicadas aos veteranos, que são colocadas nas lápides no Dia Nacional dos Veteranos.

Memorial

“Quando ouvi pela primeira vez a história sobre esta missão, fiquei chocado ao saber que nada foi feito por essas famílias”, disse Worcester. “Eu disse naquele dia que faríamos algo para garantir que essas pessoas fossem homenageadas”.

“A missão da Wreaths Across America é lembrar os caídos, honrar aqueles que serviram e suas famílias e ensinar à próxima geração o valor da liberdade. A cerimônia abordou todos os aspectos disso, pois os nomes de cada pessoa a bordo do voo 739 da Flying Tiger Line foram ditos em voz alta, e seus nomes e história foram gravados em pedra para que as gerações futuras aprendam sobre seu serviço e sacrifício”, completou.

O vídeo da transmissão ao vivo para lançamento do memorial pode ser encontrado na página oficial do Facebook da Wreaths Across America aqui. Esta é a primeira vez que muitas dessas famílias se encontram para compartilhar suas histórias e experiências decorrentes daquele dia fatídico. A história da linha 739 do Flying Tiger Flight pode ser encontrada aqui.

Antes da inauguração do monumento, entrevistas com membros da família foram transmitidas pela Rádio Wreaths Across America. Você pode ouvir suas experiências sobre este momento histórico da história e suas reações emocionais ao fato de seus familiares serem homenageados e lembrados 59 anos depois.

Josephine Gilpatrick, irmã do sargento Donald
Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

S7 abre a primeira oficina da Rússia focada nos painéis termoacústicos...

0
A S7 Technics, fornecedora líder russa de serviços de manutenção, reparo e revisão (MRO) de aeronaves, lançou uma nova instalação