Após 92 mil horas de voo, Qantas aposenta seu último Boeing 747-400 padrão

VH-OJU

A frota de aviões Boeing 747-400 da Qantas caiu para meia dúzia de aeronaves no último final de semana, após a retirada de serviço do Lord Howe Island, nome de batismo do avião matriculado VH-OJU. A aeronave de 19 anos, que saiu da linha de produção da Boeing em janeiro de 2000, teve seu voo comercial final na rota de Sydney para Los Angeles no domingo (13).

O voo foi uma espécie de celebração da Qantas, que disponibilizou todos os 364 assentos da aeronave para resgates de pontos de passageiro frequente desde que anunciou a data do voo em agosto. Todos os 58 assentos da classe executiva e 36 econômicos premium estavam ocupados, enquanto isso, havia cerca de 100 assentos sobressalentes na cabine econômica quando o avião decolou da pista 34L do aeroporto de Sydney, pouco depois de 17h no domingo.

Intercalados na cabine, os passageiros estavam simplesmente indo para Los Angeles como parte de sua viagem normal, inconscientes ou despreocupados com o significado da ocasião, ao lado de entusiastas da aviação, interessados ​​em fazer mais uma, possivelmente final, viagem no icônico avião.

Talvez em reconhecimento ao número de pessoas a bordo que fizeram questão de estarem presentes na performance final do VH-OJU, os pilotos e tripulação fizeram diversos anúncios sobre a história da aeronave, a rota para Los Angeles e detalhes sobre o peso da decolagem em Sydney. Além disso, os pilotos alertaram os passageiros para o momento em que a Lord Howe sobrevoou seu “irmão” (outro 747), cerca de 425 quilômetros a leste de Sydney.

Último 747-400 padrão da Qantas

A aeronave é o último do Boeing 747-400 padrão (ou não-ER – Extended Range) da Qantas, funcionando com motores RB211 fabricados pela Rolls Royce. Os seis Boeing 747 restantes na frota da companhia aérea são o 747-400ER, alimentado por motores CF6 da General Electric (GE).

Até o final de 2020, todos os Boeing 747-400 da Qantas serão aposentados em favor do novo 787 Dreamliner da Boeing. Encerrando a longa história da empresa com o 747 desde 1971, quando a Qantas recebeu seu primeiro Boeing 747-200B.

Juntamente com os seis Boeing 747, a frota de longo curso da Qantas consiste em Airbus A330, A380 e Boeing 787-9 Dreamliner.

A Qantas opera o 747 desde 1971

Ao todo, a Qantas operou 65 747s, recebendo 57 novos da Boeing, adquirindo três 747-400 em segunda mão e operando cinco aeronaves arrendadas em vários momentos. E por um período entre a aposentadoria do seu último 707 em março de 1978 e a entrega do seu primeiro 767 em julho de 1985, a Qantas chegou a operar uma frota de longo curso totalmente composta de 747.

Vídeo histórico de 1989 comemorando a introdução do 747-400

O primeiro 747 entrou em serviço com a Qantas em setembro de 1971 e, com o tempo, a companhia aérea operaria quase todas as principais variantes do 747, incluindo o 747SP, o 747 Combi, o 747-300 (que introduziu o andar superior estendido), o 747-400, e o 747‑400ER (alcance estendido).

A Qantas disse anteriormente que esperava ter o último 747 retirado quando a companhia aérea comemorasse seu centenário no final de 2020.

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.