Além da Embraer e seu STOUT, Airbus e Boeing também devem fazer aviões híbridos

Um dos maiores lessores do mundo afirmou que a Airbus e a Boeing estão voltando para o mercado de aviões híbridos na próxima geração.

STOUT da Embraer – FAB

“Eu tenho serias duvidas sobre a Airbus ou Boeing fazerem uma aeronave totalmente nova usando a tecnologia de motores e aerodinâmica atual, que tenha uma economia de dois dígitos (acima de 10%) sobre o que já temos hoje. Então eu vejo mais um desenvolvimento de algo híbrido”, afirmou Steven Udvar-Hazy, CEO da Air Lease.

A declaração foi feita no Skift Aviation Forum e revelada pela Reuters hoje, 20 de novembro. A Air Lease é uma empresa de leasing (que compra os aviões e os aluga para as companhias aéreas) com base em Los Angeles, tendo um total de 308 aviões no seu portfólio.

As vantagens destacadas por Steven se relacionam a redução de peso e uma mudança não drástica na propulsão, que economizaria tempo e problemas associados a qualquer nova tecnologia.

“Não fomos de motores de carros a pistão para elétricos diretamente. Tivemos uma transição com carros híbridos que tem um motor a gasolina menor e um elétrico que aumenta sua potência, como o Toyota Prius”, exemplifica o CEO.

A Airbus já estimou que teria um avião hibrido ate 2025, e a Rolls Royce espera que até 2029 seus motores híbridos estejam em aviões com ate 100 passageiros. A Boeing, por outro lado, não anunciou nada de concreto neste sentido, dadas as suas preocupações com o 737 MAX, que agora retorna aos céus e à rentabilidade do 777X.

Porém, a brasileira Embraer foi a única a apresentar um projeto de avião hibrido mais concreto, com detalhes, design preliminar e conceito definidos. Ele se chamará provisoriamente STOUT e esta sendo desenvolvido em parceira com a Forca Aérea Brasileira:

Carlos Martins
Fascinado por aviões desde 1999, se formou em Aeronáutica estudando na Cal State Long Beach e Western Michigan University. Atualmente é Editor-Chefe no AEROIN, Piloto de Avião, membro da AOPA, com passagens pela Avianca Brasil e Azul Linhas Aéreas. #GoBroncos #GoBeach #2A

Veja outras histórias

Boeing 737 arrasta-se pela pista após falha de trem de pouso

0
O mais grave da situação não foi o acidente da aeronave em si, mas uma deficiência que poderia ter levado a um fim muito pior.