Após Emirates, Qatar Airways também deverá fazer demissões massivas

Ainda sob o trauma das demissões em massa da Emirates na semana passada, agora nasce a informação de que a Qatar Airways é a próxima a seguir por esse caminho.

No mês passado, a conceituada agência de notícias Reuters foi o primeiro veículo de imprensa a noticiar as demissões em massa que estavam prestes a ocorrer na Emirates. Agora, acontece algo parecido com a Qatar Airways.

Na tarde de hoje, jornalistas da Reuters reportaram sobre o processo de eliminação de redundâncias na empresa do Catar, incluindo pilotos, já nas próximas semanas, como resultado da crise trazida ao setor aéreo pela pandemia do novo coronavírus.

Assim como no caso da Emirates, a Qatar Airways também não quis se pronunciar quando indagada pela agência.

Segundo a fonte da Reuters, o processo de desligamento não seria tão amplo como foi na empresa de Dubai, embora a Bloomberg cite que 20% da força de trabalho, ou 9.000 pessoas, devem ser desligadas.

Ainda não se sabe quais departamentos serão mais afetados. De qualquer maneira, para os pilotos sêniores haverá redução de salário de 25% de maneira permanente e para os juniores, a queda será de 15%, de acordo com uma carta interna de 4 de junho assinada por Jassim Al-Haroon chefe de operações de voo e vista pela Bloomberg.

Atualmente, a empresa aérea emprega mais de 46.000 pessoas.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias