Após o problema de descontrole do Embraer 175, EUA emite recomendações de segurança

A tripulação de um jato Embraer 175 passou por momentos de tensão em novembro passado, quando precisou brigar com a aeronave por conta de um problema que fazia o nariz levantar até o estol enquanto eles tentavam abaixá-lo para descer.

Avião Embraer 175 Republic Airways
Embraer 175 da Republic Airways

Naquele momento, as informações preliminares davam conta de que a aeronave estava na fase de subida após a decolagem da pista 09L de Atlanta (ATL) quando a tripulação declarou que havia uma emergência, reportando um problema de disparo no sistema de trim do profundor (trimagem é o ajuste fino da posição das superfícies móveis de controle de uma aeronave).

Depois de muito esforço dos pilotos para manterem o controle do Embraer 175 da Republic Airways, o jato pousou com segurança na pista 10 da Atlanta, cerca de 19 minutos após a decolagem e de 15 minutos após a chamada de emergência.

Flight Radar 24 Voo AA4439 E175 Republic
Trajetória do Embraer 175 durante a emergência – Imagem: FlightRadar24

Agora, o NTSB dos Estados Unidos, órgão que investiga acidentes e incidentes da aviação, emitiu suas primeiras conclusões sobre o que levou ao perigoso descontrole da aeronave, acompanhadas de recomendações de segurança.

Entre as diversas informações do relatório, o NTSB descreve:

Em 6 de novembro de 2019, a tripulação do voo 4439 da Republic Airways, um Embraer EMB-175, declarou uma emergência logo após a decolagem de ATL com seis passageiros a bordo, relatando um problema de controle de voo relacionado ao trim e dificuldade em controlar o avião.

O comandante (que estava no assento esquerdo e pilotava o jato) relatou depois que reconheceu o problema de controle de voo após uma tentativa fracassada de acionar o piloto automático a cerca de 2.200 pés de nível médio do mar.

O comandante afirmou que conduziu o único item de memória da lista de verificação da Republic para ocorrência de Pitch Trim Runaway, que instrui para pressionar e segurar o botão de desconexão do piloto automático / trim do seu lado. Ele então pediu ao primeiro oficial para pressionar e segurar também o botão do lado direito para desconexão do piloto automático / trim.

O comandante e o primeiro oficial relataram mais tarde que ambos precisaram usar as duas mãos para combater o movimento de nariz para cima do avião, e que isso envolvia um esforço que nem sentiam que poderiam alcançar o QRH (Quick Reference Handbook) para solucionar o problema.

Por fim, a tripulação conseguiu controlar o avião com o ajuste de compensação de trim do primeiro oficial, retornar à ATL e pousar o avião em segurança cerca de 15 minutos depois de declarar a emergência.

Enquanto esse incidente ainda está sob investigação, três áreas de preocupação foram identificadas: atrito em fios, aplicação de boletins de serviço da Embraer (SB) relacionados ao botão de ajuste de trim e limitações em potencial nos itens de memória da lista de verificação para ajudar os pilotos de jatos Embraer a resolver problemas de operação não intencional do sistema de compensação de trim.”

O NTSB ainda explica que o atrito nos fios foi a causa dessas dificuldades de ajuste de trim:

O exame pós-acidente do avião (na área em que a coluna de controle do comandante atravessa o piso da cabine de comando) revelou um isolamento danificado ao redor dos fios que conectam a eletrônica de controle do atuador do estabilizador horizontal ao botão de ajuste de trim do comandante e ao botão de desligamento do piloto automático / trim.

O dano por atrito foi causado pelo contato de um arame de freno de um parafuso de parada, pois a dobra final do acabamento do freno foi feita de maneira incompleta.

Ainda, os procedimentos de manutenção no manual de manutenção de aeronaves EMB-175 (AMM) para ajustar o parafuso de parada mecânica atualmente não chamam atenção específica para esta área crítica.

Arame Freno Atrito Fio Controle Pitch Trim E175
O dano (à esquerda) causado pelo freno mal acabado (à direita) – Imagem: NTSB

O órgão norte-americano informou que as recomendações não se limitam apenas à ocorrência com o E175. Como resultado, o NTSB divulgou seis recomendações de segurança para o Brasil, a Embraer e a ANAC, e quatro para a FAA dos Estados Unidos. Ainda não há previsão de data para emissão do relatório final com informações adicionais.

Veja na matéria a seguir mais detalhes sobre os momentos em que os pilotos enfrentaram a falha técnica em voo. Logo abaixo, veja outros casos recentes de falhas com jatos da Embraer em voo.

Murilo Bassetohttp://www.aeroin.net
Formado em Engenharia Mecânica e Pós-Graduando em Engenharia de Manutenção Aeronáutica, possui mais de 6 anos de experiência na área controle técnico de manutenção aeronáutica.

Veja outras histórias