Após acidente, FAA emite alerta sobre compensador do Boeing 737 MAX

No último dia 29, um Boeing 737 MAX 8 da Lion Air caiu na Indonésia após decolar do Aeroporto de Jakarta para a cidade de Pangkal Pinang, também na Indonésia. O acidente que vitimou 189 pessoas já teve sua investigação iniciada e, como medida preventiva para evitar novas ocorrências, a FAA (equivalente norte-americana à ANAC) emitiu um alerta para os operadores do 737 MAX.




© Huy Do

O acidente é o primeiro com o novo Boeing 737 MAX 8, que inicou as operações em maio do ano passado pela Batik Air, empresa do grupo Lion Air. E em março desse ano a Lion Air recebeu o primeiro MAX 9 do mundo através da sua subdiária Thai Lion.

Investigadores da Indonésia conseguiram recuperar uma das caixas pretas e um número razoável de materiais da aeronave. A partir disto conseguiram determinar uma pane no sensor de ângulo de ataque (AOA), ângulo que é formado entre a asa e o vento relativo.

Com isso a FAA emitiu uma Diretriz de Aeronavegabilidade de Emergência (Emergency AD) com instruções válidas para todos os operadores americanos de 737 MAX, no caso a American, United e Southwest. Mas dada a relevância, o reconhecimento da FAA e o fato de ela ser quem regula a Boeing, é esperado que outras agências repliquem esta diretriz em seus países.




A diretriz vai ao encontro de um boletim que a Boeing emitiu hoje, horas antes da FAA, sobre os procedimentos que as tripulações devem tomar em caso de falha do sensor do ângulo de ataque, que pode ocasionar um compensamento automático errado do estabilizador horizontal/profundor.

Veja a seguir trechos da diretriz:

Em até três dias após o recebimento desta AD, o operador deverá revisar as limitações do manual de voo para incluir a informação abaixo.

Runaway Stabilizer (Fuga do Estabilizador/Fora de Controle)

Em caso de dados errados do AOA resultando num movimento horizontal não comandado do estabilizador horizontal, alguma ou todas as indicações/efeitos abaixo podem ocorrer:

  • Vibração no manche intermitente ou contínua apenas no lado afetado
  • Faixa de velocidade vermelha e preta apenas no lado afetado
  • Aumento de forças para baixar o nariz
  • Alerta de divergência de velocidade indicada
  • Alerta de divergência de altitude
  • Alerta de divergência de AOA (se o opcional estiver instalado)
  • Luz FEEL DIFF PRESS iluminada (indica que tem um diferencial de pressão dos sistemas A e B que atuam no profundor e seu compensador)
  • Piloto automático pode desligar
  • Impossibilidade de ligar o piloto automático

Também deverão ser adicionadas ao manual de voo as seguintes informações:

No caso de o Runaway Stabilizer desligar o piloto automático, controle o ângulo da aeronave pelos controles manuais e utilize o compensador elétrico se necessário. Se ao aliviar os controles ocorrer um movimento do compensador, mude o switch do compensador para CUTOUT (desligar).

Se ainda estiver fora de controle, segure manualmente a “roda” do compensador (vide vídeo abaixo) e compense o avião manualmente pelo botão localizado no manche.

Nota: O 737 MAX 8/9 utiliza um computador de controle de voo que comanda o ângulo do compensador para melhorar o manuseio longitudinal da aeronave. No evento de ocorrerem dados errados do AOA, o sistema de compensador automático pode comandar o nariz para baixo por até 10 segundos.

Neste evento de nariz para baixo não comandado, em conjunto com alguma das indicações/efeitos listados acima, faça o procedimento acima certificando-se que o switch STAB TRIM está em CUTOUT. O estabilizador manual do manche pode ser usado antes ou depois do movimento do switch para CUTOUT.




Dado o boletim da Boeing e a diretriz da FAA, o 737 MAX 8 da Lion Air provavelmente enfrentou uma situação em que o AOA interpretou erroneamente que a aeronave estava num ângulo muito próximo do estol (onde perderia toda a sustentação e cairia), e para evitar o suposto estol comandou a aeronave para baixo, rumo ao chão e sem muito tempo de reação.

Registros do Diário de Bordo de voos anteriores da aeronave vazaram na internet. Neles os pilotos relataram ocorrência de alerta de divergência de velocidade indicada e altitude após a decolagem, além da luz FEEL DIFF PRESS iluminada.

Suposta cópia do Diário de Bordo que vazou na internet

Nenhuma companhia aérea no mundo comentou sobre os boletins divulgados há pouco. No Brasil a ANAC ainda não se posicionou e a GOL, única operadora nacional do modelo, também não falou sobre o assunto ainda. Porém as Diretrizes emitidas pela FAA possuem efetividade no Brasil.

Abaixo segue o vídeo do procedimento para Runaway Stabilizer utilizado no 737 (no vídeo um 737 Classic, mais antigo mas o procedimento é praticamente o mesmo na série Next Generation e MAX).

Boeing entrega o primeiro 737 MAX 9!

Boeing lança oficialmente o 737 MAX 10, o maior 737 já projetado.

Com informações da FAA e da Boeing.