Início Variedades Após ter taça de vinho negada, ex-modelo ameça explodir o avião

Após ter taça de vinho negada, ex-modelo ameça explodir o avião

Receba essa e outras notícias em seu celular, clique para acessar o canal AEROIN no Telegram e nosso perfil no Instagram.

Uma ex-modelo do Instagram causou um tumulto a bordo de um voo da Air New Zealand por conta de uma taça de vinho, e o caso, ocorrido em novembro do ano passado, agora é julgado no tribunal como perturbação dramática.

Boeing 787-10 Dreamliner Air New Zealand
Imagem: Air New Zealand

A ex-modelo Hannah Lee Pierson, de 31 anos, estava a bordo de uma das aeronaves da Air New Zealand, realizando um voo de Melbourne, na Austrália, para Auckland, na Nova Zelândia, com pouco mais de 70 passageiros.

Em certo momento do voo, os comissários começaram a realizar o serviço de bordo aos passageiros, quando Lee Pierson solicitou uma taça de vinho a um deles. A ex-modelo foi informada de que não teria direito e que seria necessário adquirir através do cardápio.

Com o pedido da taça negado, a passageira começou a se exaltar a bordo e destratar o comissário, alterando o tom de voz e exigindo o vinho de qualquer forma. Lee Pierson se levantou gritando do seu assento, dizendo que pegaria o vinho sozinha, e disparou palavras pejorativas a outro comissário.

Quando a ex-modelo tentou sair do seu assento, a tripulação conseguiu desviá-la para um assento adjacente, de modo a contê-lá. Apesar disso, ela agarrou um dos comissários fortemente pelo braço e começou a fazer movimentos com a cabeça para poder acertar o rosto do tripulante.

Segundo relata o site NZ Herald, a tripulação estava preocupada, pois, a ex-modelo estava próxima à saída de emergência e a todo momento tentava sair do seu assento. Em vários momentos ela gritava: “Pega um vinho para mim ou vou explodir o avião”.

Algemada e amarrada pela tripulação em assentos livres, após ter constrangido e desrespeitados com palavras torpes diversos passageiros, incluindo até crianças pequenas, a ex-modelo acabou adormecendo 90 minutos antes do pouso em Auckland. Lee Pierson ainda disparou mais ofensas quando acordou, após a aterrissagem.

Na audiência, o advogado de Lee Pierson disse que sua cliente entrará com um pedido de dispensa sem condenação (quando o réu não recebe uma condenação apesar de se declarar culpado ou ser considerado culpado após o julgamento), pois a consequência de uma condenação afetaria diretamente futuras viagens.

O juiz Alastair Garland, que está julgando o caso, comentou que as companhias aéreas ficariam muito felizes se ela não viajasse mais. O juiz ainda indagou o advogado sobre a sua cliente ter problemas com álcool, fato confirmado por Lee Pierson logo em seguida, dizendo que no passado já teria tidos sérios problemas.

Meses depois da confusão a bordo do voo da Air New Zeland, Hannah Lee Pierson se considerou culpada perante o juiz, que decidirá em 23 de junho sua sentença final. Ela ficou detida sob fiança.

Leia outros casos de confusão a bordo: